DEVOCIONAL 23

Afequenosune

Leitura: Jó 13.13

“Por ventura, falareis perversidades em favor de Deus e a seu favor falareis mentiras?”
Jó 13. 7

ACUSADORES

O exercício de escrever esses devocionais tem me feito lembrar e revisitar muitas das minhas “conversas a mesa” (muito diferente das do Lutero com certeza – talvez haja semelhança na circunferência abdominal!). Quantas memórias tenho resgatado lendo agora o livro de Jó! Não sei se choro mais pelo sofrimento que ele passava – e não entendia -, ou pela companhia – desagradável! – dos “amigos”.

Sim, a história! Sentimos falta de uma pessoa. Já alguns domingos que não ia na Igreja. Mandamos mensagem, a resposta sempre curta e programada. Decidimos ir até onde estava. Conversa vai, conversa vem, risos e gracejos preenchiam o tempo e espaço. Embora que, era visível um espaço gigante no coração. O vazio da acusação consumia por dentro e minava o semblante por fora.

Derrepente, desaba em choro. Um profeta da igreja, sabendo do tempo difícil que passava, foi lhe levar consolo. O consolo mais parecia com um porrete! Lhe disse, que, o que estava passando era a mão de Deus pensando sobre sua vida. Era castigo divino e não havia nada que pudesse ser feito, a não ser esperar a ira do Senhor terminar de exterminar as forças e consumir a alegria. Mentiu e foi cruel em nome de Deus!

Senhor Jeová, Deus meu! Como me isso me irritou! Foi gerado no coração evangélico, uma visão de um deus carrasco e vingador, pronto pra – assim como Zeus – lançar um raio sobre a cabeça de (acredite!) qualquer filho (e nem é inimigo) que pisar fora do quadrado!

Por isso, meu amigo, se você veste-se diariamente com a toga da acusação, tatue esse versículo (na testa!): “Tomara vos cálasseis de todo que isso seria a vossa sabedoria” Jó 13.5

Felipe Rocha

Anúncios

DEVOCIONAL 22

d22

Leitura: Jó 6.1-13

POR QUE ESPERAR?

“Por que esperar, se já não tenho forças?”
Jó 6.11

Imagine a história de um soldado muito corajoso. Durante a Segunda Guerra Mundial, John se destacava dos demais. Não havia missão difícil de mais, ou obstáculo que o parasse. Era sempre o primeiro a se voluntariar; era o último a descansar. Na unidade de paraquedistas, a qual fazia parte, era sempre o primeiro a saltar do avião, mesmo quando a tempestade – ou a artilharia – castigava essas máquinas voadoras. Era um tipo especial de soldado.

Foi convocado para uma missão secreta; saltar atrás das linhas inimigas e observar seus movimentos e sabotar seus esforços. Chegando a hora, nessa missão importanre, ele salta com seu pequeno grupo de elite. O que acontece depois é um relato digno de uma lenda! Ao saltarem, dos 5 militares, 3 se ferem na queda, e ele e o quarto homem são feridos por uma emboscada! Mesmo ferido, ele lança uma granada sobre um tanque inimigo, parcialmente o destrói. Ainda com o tanque em chamas, ele sobe, engatilha a Ponto 50, e dispara verozmente, afugentando seus inimigos. Pra criar uma situação que seus amigos pudessem ser resgatados, ele sozinho sai atirando nos inimigos, tomando um caminho inverso, atraindo-os e colocando-nos no seu encalço.

Faz isso por dias. Ferido. Com fome. Com sede. Uma hora cansado dessa luta, desorientado pela fome, ele simplesmente se prosta no chão, pra aguardar seus inimigos chegarem, e terminarem com sua dor.

Quantas vezes nos sentimos assim. Lutamos por anos. A mesma luta; com as mesmas pessoas. Com as mesmas situações. A pergunta que inunda nossas mentes é: por que esperar mais? Por que continuar a lutar?

Esperar é um dom! Esperar com paciência no Senhor, é ter a certeza do Senhor ouvir nosso clamor!

Ah, e o John? No segundo seguinte que ele tinha pensado em desistir, ao longe, ele viu um tiro de sinalizador: era o sinal que os amigos estavam perto. Ele se levanta, ainda se arrastando, e segue na batalha!

Felipe Rocha

DEVOCIONAL 21

A-História-de-Jó

Leitura: Jó 4.1-21

 

CONFIANÇA: TEORIA OU REAL?

 

“Eis que tens ensinado a muitos e tens fortalecido mãos fracas. As tuas palavras têm sustentado aos que tropeçavam, e os joelhos vacilantes tens fortificado. Mas agora, em chegando a tua vez tu te enfadas; sendo tu atingindo, te pertubas”

Jó 4.3-5

 

Havia um homem, que era reconhecido como sendo muito sábio. Era procurado por pessoas de todas as faixas etárias e classes sociais. Ele sempre tinha uma resposta pronta, independente de qual fosse a pergunta.

 

Problema com a esposa? Leve uma flor!

Problema com o chefe? Leve um café!

Problema com o dog? Leve um osso!

Problema com o motor? Faça o cabeçote!

Problema com matemática? A soma dos quadrados dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa.

 

Ele era assim! Não havia nada que ele não soubesse. Até o dia em que brigou com a esposa, que discutiu com o chefe, o dog destruiu o sofá, o carro parou, e não passou no concurso.

 

Quando o problema bate a nossa porta, a situação sempre muda de figura! Agora, o atingido somos nós! E como é difícil assimilar nossos próprios conselhos em tempos assim! É mais fácil dizer que cremos na provisão de Deus quando tudo está bem! É mais dizermos que cremos na cura, quando nenhum filho está doente! É mais crer que o Senhor abre portas, quando as nossas estão abertas!

 

O versículo 6 nos lança uma pergunta que repasso pra você: “Por ventura, não é o teu temor de Deus aquilo em que confias, e a rua esperança, a retidão dos teus caminhos?”

 

E a sua confiança, é só teoria ou é real?

 

Felipe Rocha

DEVOCIONAL 20

amaldicoa-teu-deus-e-morre-2

LEITURA: Jó 1.1-5

“Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal”
Jó 1.1

SER ÍNTEGRO

O livro e a história de Jó, são muito emblemáticos. Muito se tem discutido sobre quando esse livro e seu personagem viveram. Em geral, tem-se algum consenso pelo menos do período em que a história se passa. Provavelmente, a história de Jó se desenrola em um período entre a época pós Babel até um período antes a Abraão ou contemporânea dele.

A terra de Uz compreendia a uma extensa região a leste do que seria Judá. Era um terra propicia a agricultura e a criação de gado. Era uma terra próspera. Jó não era um nômade, mas um ancião respeitado numa cidade importante.

Ele, embora plenamente inserido no contexto secular a qual vivia, não deixava de assumir pra si, a função sacerdotal como chefe e pai de família. Nesse primeiro versículo, ele é descrito como um homem íntegro e reto. A Palavra “íntegro” é uma expressão que no hebraico quer dizer “ser completo”. A ideia aqui não é de que Jó não pecava, mas de que ele era moral e espiritualmente maduro. Ele era um ser inteiro!

Você já parou pra pensar se no meio em que você vive, você tem se mantido “completo”? Ou tem se deixado influenciar pelo o que te cerca?

Felipe Rocha

DEVOCIONAL 19

d19

LEITURA: Gênesis 46.28-30

REENCONTRO

“Então aprontou o seu carro e subiu ao encontro de Israel, seu pai em Gosén. Apresentou-se, lançou-se-lhe ao pescoço e chorou assim longo tempo. Disse Israel a José: Já posso morrer, pois vi teu rosto, e ainda vives”
Gênesis 46.29 e 30

Havia um casal de jovens britânicos, que desde pequenos se amavam. Um amor lindo, puro. Cresceram juntos, e mal chegaram a vida adulta, casaram-se. Embora a história deles seja muito bonita, o contexto não é.
Estamos no meio da Primeira Guerra Mundial!

Ele, jovem, saudável e forte, é convocado pra lutar. Ali, na estrada de ferro, ao apito do trem, eles se despedem com um beijo acalorado, banhando em lágrimas. O coração apertado pelo medo. Medo de não se verem nunca mais!

Essa história não tem nomes, porque é um relato comum milhares de casais desse tempo. Todos partilharam do medo de não se reencontrarem nunca mais!

Jacó vivenciou na pele, uma dor, que muitos pais que tiveram seus filhos alistados e enviados para Campos de batalha sentem: a dor da separação, o desespero do medo, a angústia da despedida chorosa sobre um caixão. Jacó chorou a perda de seu filho José!

Que dias terríveis de separação, medo e dor! Para Jacó, era então impossível sentir o doce aroma de um som qualquer, ou ouvir o tilintar da luz do sol batendo na janela. Tudo era cinza, escuro, frio.

Mais um dia, ele reencontra José, e ambos podem despejar todas as lágrimas amargas e se recompor e viver apartir de então com a doce lembrança de um abraço apertado do reencontro que não era mais esperado!

De quem você sente falta? Quem você precisa reencontrar? Não importa qual guerra os separou, o Deus que aqui está, é especialista em novamente juntar!

Por quê? Porque Ele pode!

Felipe Rocha

Devocional 18

jose-convida-seus-irmaos-para-uma-refeicao

RESTAURAÇÃO

Leitura: Gênesis 45.9-15

“José beijou a todos os seus irmãos e chorou sobre eles; depois, seus irmãos falaram com ele”
Gênesis 45.15

Há 10 anos que lido com o aconselhamento e o pastoreio. Perdi a conta de quantas pessoas passaram pela “meu gabinete” (que geralmente é a mesa na minha cozinha!). Tantos ‘causos’ já ouvi. Tantas histórias. Tantas lágrimas.

Seja jovem, adulto; solteiro ou casal, a maior parte dos problemas apresentados e questões sucistadas, referem-se a família. Não foram poucos os casos de traições, descontroles, abusos. Quanta bagagem as pessoas carregam! E as carregam, por anos (vezes, por décadas!)

Como José esperou por esse momento! Como seus irmãos NÃO esperavam por esse momento! Como Deus é bom em todos os momentos!

José os perdoa, os abraça, chora! E eles ainda perplexos! Ficaram mudos! Mas quando o calor do perdão inunda seus corações, enfim, eles falam com José! Não mais como como falaram com o Governador, ou senhor; agora, como irmãos!

Não importa se te feriram ou, se você foi o que feriu! Deus pode restaurar sua família!

Creia! Ame! Espere! Aja!

Felipe Rocha

DEVOCIONAL 17

d17

PROCESSO

Leitura : Gênesis 45.8

“Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes para o Egito”
Gênesis 45.4

Fomos habituados por essa vida de evangélicos, a sempre esperar ansiosamente pelo fim de cada “provação”; pelo resultado dos nossos “sacrifícios”. Pela chegada – enfim! – da nossa “benção”!
E durante a todo esse período, perdemos grandes oportunidades de conhecer mais a Deus!

José, vendido como escravo, preso como criminoso, e agora como governador, guardava algo precioso na sua vida: o processo! Sim, o processo! José quando mais novo, havia de Deus, recebido sonhos. E tenho certeza que ele acreditava mesmo que iriam de alguma forma – e em algum tempo acontecerem! Mas nada foi mais precioso pra ele do que o processo!

A compreensão do processo fez com que ele, quando tinha poder nas mãos para fazer seus irmãos “pagarem pelo o que fizeram”, os perdoassem! A compreensão do processo, nos leva a ver as mãos de Deus nos guiando não apenas nas coisas boas que nos acontecem, mas sobretudo nas ruins.

Quantas coisas que lhe aconteceu? Te convido a pensar no processo e se preparar pra agir como José:
“Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus,” (Gênesis 45.8)

Felipe Rocha

Uma Música, Uma Convocação a TODOS OS HOMENS!

Se, porém, não agrada a vocês servir ao Senhor, esco­lham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas eu e a minha família servi­remos ao Senhor
Josué 24:15

Ao fazer uma pesquisa essa noite para o meu livro Lições em Filmes: Para Garotos. Pude encontrar uma música relacionada ao filme cristão Corajosos. E quando parei para ler a letra desta canção, pude ver mais uma vez que o Senhor tem nos chamado a sermos corajosos e fiéis em servi-lo em nosso tempo, bem como nos levantarmos como verdadeiros Homens de Deus e, preparar os futuros homens.

Deixo aqui o video da música Casting Crowns – Courageous e, a letra em Português

Corajosos

Nós fomos feitos para ser corajosos
Nós fomos feitos para guiar o caminho
Nós podemos ser a geração
Que, finalmente, quebra as cadeias

Nós fomos feitos para ser corajosos
Nós fomos feitos para ser corajosos

Nós éramos soldados na linha de frente
Firmes, sem medo
Mas agora nós somos espectadores à margem
Enquanto nossas famílias se vão

Onde estão vocês, homens de coragem?
Vocês foram criados para muito mais
Deixe o bater de nossos corações gritar
Nós serviremos ao Senhor

Nós fomos feitos para ser corajosos
E estamos voltando à luta
Nós fomos feitos para ser corajosos
E vai começar conosco esta noite

A única forma de permanecermos
É de joelhos, com as mãos levantadas
Torne-nos corajosos
Senhor, nos torne corajosos

Essa é a nossa decisão
Nossa resposta ao chamado
Nós amaremos nossas esposas e filhos
Recusamo-nos a deixar que eles caiam

Vamos reacender a paixão
Que enterramos bem fundo
Que espectadores se tornem soldados
Que os homens de Deus se levantem

Nós fomos feitos para ser corajosos
E estamos voltando à luta
Nós fomos feitos para ser corajosos
E vai começar conosco esta noite

A única forma de permanecermos
É de joelhos, com as mãos levantadas
Torne-nos corajosos
Senhor, nos torne corajosos

Busque a justiça
Amor. Misericórdia.
Caminhe humildemente com seu Deus

Busque a justiça
Amor. Misericórdia.
Caminhe. Seja com o seu Deus.

Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com o seu Deus.)

Nós fomos feitos para ser corajosos
E estamos voltando à luta
Nós fomos feitos para ser corajosos
E vai começar conosco esta noite

A única forma de permanecermos
É de joelhos, com as mãos levantadas
Torne-nos corajosos
Senhor, nos torne corajosos

Nós fomos feitos para ser corajosos
Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Senhor, torne-nos corajosos
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Nós fomos feitos para ser corajosos
Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Senhor, torne-nos corajosos
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia…)
Caminhe humildemente com seu Deus

Fonte original:
https://www.letras.mus.br/casting-crowns/1908365/traducao.html

DEVOCIONAL 16

d16

 

CONFISSÃO

Leitura: Gênesis 42.1-24

“Na verdade somos culpados, no tocante a nosso irmão, pois lhe vimos a angústia da alma, quando nos rogava, e não lhe acudimos; […]”
Gênesis 42.21

Um dos mais belos e ricos relatos bíblicos, sem dúvida qualquer, são aqueles que têm José como personagem principal! E talvez exatamente por isso, seja uma das histórias mais pregadas, ao mesmo tempo, que tão pouco explorada – ou pelo menos, explorada superficialmente.

O contexto desse versículo ilustra o primeiro encontro de José com seus irmãos, depois de ter sido vendido. Tanta coisa aconteceu nesse meio tempo. Quanto sofrimento de ambos os lados. Quantas lágrimas. Que processo! E agora estão ali: frente a frente, cara-a-cara. Porém, apenas José os reconhece.

“Na verdade, somos culpados”. Essa era a frase que José queria ouvir! Ali, José prefigura Cristo, e assim como os patriarcas pra fazerem parte do Reino e viverem precisaram confessar suas culpas, assim acontece conosco!

Não raro, carregamos erros e pecados por anos, e esses segredos sórdidos nos consomem as forças e minam a alegria! Mas hoje é dia de confessar as culpas Aquele que tem o poder para perdoa-las!

E então ouça Cristo dizer:
“… Filho, os teus pecados estão perdoados!” (Marcos 2.5)

Felipe Rocha

DEVOCIONAL 15

d15

Leitura Gênesis 39.1 – 23

“O SENHOR, porém, era com José, e lhe foi benigno, e lhe deu mercê perante o carcereiro”
Gênesis 39. 21

CAIXINHA DE SURPRESA

“…Existem pessoas que não se abatem por nada, até mesmo os mais terríveis obstáculos, são encarados como novos e maravilhosos desafios, hoje conheceremos a história de Joseph Climber. Joseph Climber, 17 anos de idade campeão mundial de luta livre, no auge de sua carreira e de sua forma física, mas a vida, a vida essa sim é uma caixinha de surpresas e em uma bela manhã de sol…”

Assim começa um dos vídeos mais engraçados que já vi. O personagem, Joseph Climber, da Cia de Comédia Melhores do Mundo, é um cara que só teve atropelo na vida! (Por favor, se você ainda não viu esse vídeo, pare de ler o devocional e vá para o YouTube – e depois volte!) Lembro-me de estar no meio de um turbilhão na minha vida, onde tudo parecia (e estava!) dar errado! Me identifiquei de cara com ele!

Mas…com certeza, nada se compara com a vida de José ‘Climber’; o nosso José da Bíblia! Menino de sonhos, vendido pelos irmãos, assediado pela patroa, preso por um crime que não cometeu. E o texto que lemos diz que o Senhor era com José, e LHE FOI BENIGNO! (vs. 21). E um detalhe importante: ele estava numa masmorra!

Talvez outro, que não o nosso “José(ph) Climber, teria reclamado da sorte: afinal, a vida é mesmo uma caixinha de surpresa!

Mesmo que para nós seja difícil de compreender todo o cenário, quando estamos no meio do olho do furacão, ali o Senhor está conosco! Na verdade, para ali, o Senhor nos levou! Porque Ele tinha um propósito!

Então mesmo que a caixinha de surpresas que está aberta agora na sua frente, parece não ser boa, lembre-se:

“O Senhor está comigo, nada temerei!” (Salmos 118.6)

Felipe Rocha