Jesus como o Homem Verdadeiro e Perfeito

pedro anda

 

Os homens estão passando por uma crise de identidade. E nós estamos com poucos modelos.

 

Estamos presos entre Don Draper como o macho alfa e toda uma equipe de homens ômega como Judd Apatow. Alguém tenta expressar masculinidade através de poder, posses e promiscuidade. O outro grupo parou de tentar por completo. Ao contrário de nós, esses outros caras parecem estar tirando algo do isolamento e do descontentamento, da rebelião e da falta de disciplina. Estamos presos a dores e dificuldades.

 

Precisamos de uma visão mais atraente para a masculinidade. Precisamos ver um homem tão profundamente enraizado e seguro em sua identidade que ele possa realmente incorporar a masculinidade para nós. Um homem sem crise de identidade, perseguindo seu chamado com paixão e persistência. Um homem cuja masculinidade não é vaidosa e egoísta.

 

Precisamos olhar para Jesus, o homem verdadeiro e perfeito.

 

Conteúdo e Contentamento

Contentamento impulsionou Jesus. Antes de sua encarnação, ele tinha tudo o que alguém poderia imaginar. No entanto, ele renunciou a tudo por nossa causa, entrando em um mundo de dificuldades, limitações, sofrimento e morte. Seu contentamento não vinha de suas circunstâncias ou localização, mas de seu eterno relacionamento com o Pai. Antes de Jesus entrar no ministério público, pregou um único sermão, realizou algum milagre, ou curou alguém, o Pai falou estas palavras: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:17).

 

Porque Jesus estava contente e seguro em sua identidade como o Filho do Pai, ele era coabitável. Ele era o professor perfeito, mas o Evangelho de Lucas o descreve sendo guiado pelo Espírito Santo. Ele disse que ele fez na terra o que quer que seu Pai fez (João 5:19), mesmo aprendendo através de seu sofrimento ordenado (Hebreus 5: 8). Ele modelou a humildade, deixando claro que estava sob a orientação e autoridade de Deus Pai. Mesmo quando ele foi tentado a evitar o sofrimento da cruz, Jesus disse: “Não se faça a minha vontade, mas a tua” (Lucas 22:42).

 

Disciplinado e Determinado

 

Ele foi disciplinado. Sabendo que uma vez que o sol nascesse, ele seria assediado pela multidão, ele fez a sua prática de levantar cedo para estar com seu pai e obter instruções para o dia. Ele tinha foco e um senso claro de tempo. Ele mudou para a próxima coisa quando necessário (Marcos 1: 37-38). Ele viveu no momento: “E o que direi? “Pai, salva-me desta hora?” Mas para este propósito cheguei a esta hora “(João 12:27).

Ele lidou com as fraquezas de viver como um homem na sociedade saturada de pecado (Hebreus 4:15). As pessoas se opuseram a sua missão e mensagem em cada turno. No entanto, apesar de todos os obstáculos, Jesus permaneceu concentrado em nosso bem e em seu perfeito sacrifício em nosso favor (Hebreus 10:14). Jesus era um homem determinado.

 

Conectado à Família e Amigos

 

Jesus foi conduzido, mas sempre teve outros em vista, até mesmo abrindo espaço para sua família (João 2: 3–5). Ele estava ciente de suas responsabilidades como filho, sabendo que, mesmo como Deus, ele precisava cumpri-las. Antes de ingressar no ministério público, ele assumiu a carpintaria como seu pai terreno José. E em seu ato final, enquanto estava na cruz, Jesus confiou o cuidado de sua mãe a um discípulo amado – João (João 19: 26-27).

 

Jesus estava ligado aos seus seguidores, revelando-se a eles. Ele treinou e treinou, encorajou e desafiou. Ele era um professor para eles, mas muito mais. O trabalho deles era absorver o máximo que pudessem, imitá-lo e obedecer a seus comandos. Mas em uma declaração notável, Jesus os fez mais do que seguidores. Ele os convidou para serem amigos, para serem iguais a ele em seu trabalho, em seu descanso, em todos os benefícios e alegrias que são seus – mesmo como o Filho de Deus (João 15:15).

 

Resistente e gentil

 

Jesus foi ao mesmo tempo terno e duro. Ele se entristeceu e chorou pela morte de seu amigo Lázaro. E quando os líderes religiosos de seus dias estavam vendendo coisas no templo, Jesus derrubou suas mesas e as chicoteou com cordas (João 2:15)! Ele não foi governado por suas emoções, mas também não negou ou reprimiu. Jesus sentiu as coisas tanto profundamente quanto corretamente.

 

Artigo por Darrin Patrick

Tradução: Filipe Paulo Christian

Fonte Original:

https://www.desiringgod.org/articles/jesus-as-the-true-and-perfect-man

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s