Todos os posts de filipechristian

Eu sou Cristão, tenho 23 anos e sou casado com Léa Karine. Também sou um empreendedor tanto em questões de negócios, quanto na área social. Enfim, gosto demais de servir a Deus de acordo com cada dom que Ele me tem dado e poder ajudar outros homens a se tornarem melhore e mais semelhantes a Cristo.

Devocional 18

jose-convida-seus-irmaos-para-uma-refeicao

RESTAURAÇÃO

Leitura: Gênesis 45.9-15

“José beijou a todos os seus irmãos e chorou sobre eles; depois, seus irmãos falaram com ele”
Gênesis 45.15

Há 10 anos que lido com o aconselhamento e o pastoreio. Perdi a conta de quantas pessoas passaram pela “meu gabinete” (que geralmente é a mesa na minha cozinha!). Tantos ‘causos’ já ouvi. Tantas histórias. Tantas lágrimas.

Seja jovem, adulto; solteiro ou casal, a maior parte dos problemas apresentados e questões sucistadas, referem-se a família. Não foram poucos os casos de traições, descontroles, abusos. Quanta bagagem as pessoas carregam! E as carregam, por anos (vezes, por décadas!)

Como José esperou por esse momento! Como seus irmãos NÃO esperavam por esse momento! Como Deus é bom em todos os momentos!

José os perdoa, os abraça, chora! E eles ainda perplexos! Ficaram mudos! Mas quando o calor do perdão inunda seus corações, enfim, eles falam com José! Não mais como como falaram com o Governador, ou senhor; agora, como irmãos!

Não importa se te feriram ou, se você foi o que feriu! Deus pode restaurar sua família!

Creia! Ame! Espere! Aja!

Felipe Rocha

Anúncios

DEVOCIONAL 17

d17

PROCESSO

Leitura : Gênesis 45.8

“Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes para o Egito”
Gênesis 45.4

Fomos habituados por essa vida de evangélicos, a sempre esperar ansiosamente pelo fim de cada “provação”; pelo resultado dos nossos “sacrifícios”. Pela chegada – enfim! – da nossa “benção”!
E durante a todo esse período, perdemos grandes oportunidades de conhecer mais a Deus!

José, vendido como escravo, preso como criminoso, e agora como governador, guardava algo precioso na sua vida: o processo! Sim, o processo! José quando mais novo, havia de Deus, recebido sonhos. E tenho certeza que ele acreditava mesmo que iriam de alguma forma – e em algum tempo acontecerem! Mas nada foi mais precioso pra ele do que o processo!

A compreensão do processo fez com que ele, quando tinha poder nas mãos para fazer seus irmãos “pagarem pelo o que fizeram”, os perdoassem! A compreensão do processo, nos leva a ver as mãos de Deus nos guiando não apenas nas coisas boas que nos acontecem, mas sobretudo nas ruins.

Quantas coisas que lhe aconteceu? Te convido a pensar no processo e se preparar pra agir como José:
“Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus,” (Gênesis 45.8)

Felipe Rocha

Uma Música, Uma Convocação a TODOS OS HOMENS!

Se, porém, não agrada a vocês servir ao Senhor, esco­lham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas eu e a minha família servi­remos ao Senhor
Josué 24:15

Ao fazer uma pesquisa essa noite para o meu livro Lições em Filmes: Para Garotos. Pude encontrar uma música relacionada ao filme cristão Corajosos. E quando parei para ler a letra desta canção, pude ver mais uma vez que o Senhor tem nos chamado a sermos corajosos e fiéis em servi-lo em nosso tempo, bem como nos levantarmos como verdadeiros Homens de Deus e, preparar os futuros homens.

Deixo aqui o video da música Casting Crowns – Courageous e, a letra em Português

Corajosos

Nós fomos feitos para ser corajosos
Nós fomos feitos para guiar o caminho
Nós podemos ser a geração
Que, finalmente, quebra as cadeias

Nós fomos feitos para ser corajosos
Nós fomos feitos para ser corajosos

Nós éramos soldados na linha de frente
Firmes, sem medo
Mas agora nós somos espectadores à margem
Enquanto nossas famílias se vão

Onde estão vocês, homens de coragem?
Vocês foram criados para muito mais
Deixe o bater de nossos corações gritar
Nós serviremos ao Senhor

Nós fomos feitos para ser corajosos
E estamos voltando à luta
Nós fomos feitos para ser corajosos
E vai começar conosco esta noite

A única forma de permanecermos
É de joelhos, com as mãos levantadas
Torne-nos corajosos
Senhor, nos torne corajosos

Essa é a nossa decisão
Nossa resposta ao chamado
Nós amaremos nossas esposas e filhos
Recusamo-nos a deixar que eles caiam

Vamos reacender a paixão
Que enterramos bem fundo
Que espectadores se tornem soldados
Que os homens de Deus se levantem

Nós fomos feitos para ser corajosos
E estamos voltando à luta
Nós fomos feitos para ser corajosos
E vai começar conosco esta noite

A única forma de permanecermos
É de joelhos, com as mãos levantadas
Torne-nos corajosos
Senhor, nos torne corajosos

Busque a justiça
Amor. Misericórdia.
Caminhe humildemente com seu Deus

Busque a justiça
Amor. Misericórdia.
Caminhe. Seja com o seu Deus.

Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com o seu Deus.)

Nós fomos feitos para ser corajosos
E estamos voltando à luta
Nós fomos feitos para ser corajosos
E vai começar conosco esta noite

A única forma de permanecermos
É de joelhos, com as mãos levantadas
Torne-nos corajosos
Senhor, nos torne corajosos

Nós fomos feitos para ser corajosos
Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Senhor, torne-nos corajosos
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Nós fomos feitos para ser corajosos
Na guerra da mente eu vou me posicionar.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia. Caminhe humildemente com seu Deus)

Senhor, torne-nos corajosos
Na batalha do coração e na batalha da mão.
(Busque a justiça. Amor. Misericórdia…)
Caminhe humildemente com seu Deus

Fonte original:
https://www.letras.mus.br/casting-crowns/1908365/traducao.html

DEVOCIONAL 16

d16

 

CONFISSÃO

Leitura: Gênesis 42.1-24

“Na verdade somos culpados, no tocante a nosso irmão, pois lhe vimos a angústia da alma, quando nos rogava, e não lhe acudimos; […]”
Gênesis 42.21

Um dos mais belos e ricos relatos bíblicos, sem dúvida qualquer, são aqueles que têm José como personagem principal! E talvez exatamente por isso, seja uma das histórias mais pregadas, ao mesmo tempo, que tão pouco explorada – ou pelo menos, explorada superficialmente.

O contexto desse versículo ilustra o primeiro encontro de José com seus irmãos, depois de ter sido vendido. Tanta coisa aconteceu nesse meio tempo. Quanto sofrimento de ambos os lados. Quantas lágrimas. Que processo! E agora estão ali: frente a frente, cara-a-cara. Porém, apenas José os reconhece.

“Na verdade, somos culpados”. Essa era a frase que José queria ouvir! Ali, José prefigura Cristo, e assim como os patriarcas pra fazerem parte do Reino e viverem precisaram confessar suas culpas, assim acontece conosco!

Não raro, carregamos erros e pecados por anos, e esses segredos sórdidos nos consomem as forças e minam a alegria! Mas hoje é dia de confessar as culpas Aquele que tem o poder para perdoa-las!

E então ouça Cristo dizer:
“… Filho, os teus pecados estão perdoados!” (Marcos 2.5)

Felipe Rocha

DEVOCIONAL 15

d15

Leitura Gênesis 39.1 – 23

“O SENHOR, porém, era com José, e lhe foi benigno, e lhe deu mercê perante o carcereiro”
Gênesis 39. 21

CAIXINHA DE SURPRESA

“…Existem pessoas que não se abatem por nada, até mesmo os mais terríveis obstáculos, são encarados como novos e maravilhosos desafios, hoje conheceremos a história de Joseph Climber. Joseph Climber, 17 anos de idade campeão mundial de luta livre, no auge de sua carreira e de sua forma física, mas a vida, a vida essa sim é uma caixinha de surpresas e em uma bela manhã de sol…”

Assim começa um dos vídeos mais engraçados que já vi. O personagem, Joseph Climber, da Cia de Comédia Melhores do Mundo, é um cara que só teve atropelo na vida! (Por favor, se você ainda não viu esse vídeo, pare de ler o devocional e vá para o YouTube – e depois volte!) Lembro-me de estar no meio de um turbilhão na minha vida, onde tudo parecia (e estava!) dar errado! Me identifiquei de cara com ele!

Mas…com certeza, nada se compara com a vida de José ‘Climber’; o nosso José da Bíblia! Menino de sonhos, vendido pelos irmãos, assediado pela patroa, preso por um crime que não cometeu. E o texto que lemos diz que o Senhor era com José, e LHE FOI BENIGNO! (vs. 21). E um detalhe importante: ele estava numa masmorra!

Talvez outro, que não o nosso “José(ph) Climber, teria reclamado da sorte: afinal, a vida é mesmo uma caixinha de surpresa!

Mesmo que para nós seja difícil de compreender todo o cenário, quando estamos no meio do olho do furacão, ali o Senhor está conosco! Na verdade, para ali, o Senhor nos levou! Porque Ele tinha um propósito!

Então mesmo que a caixinha de surpresas que está aberta agora na sua frente, parece não ser boa, lembre-se:

“O Senhor está comigo, nada temerei!” (Salmos 118.6)

Felipe Rocha

DEVOCIONAL 14

d14

 

Leitura II Coríntios 11. 16 – 33

 

SE IMPORTE

 

“Quem enfraquece, que também eu não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu não me inflame?”

Paulo aos Coríntios (II – 11. 29)

 

Experimente abrir uma rede social qualquer. Passe por alguns perfis. Veja o suprassumo do auto-idolatramento! O ídolo-mor do pós modernismo!

 

Paulo nesse textos, nos humilha um bocado; ele se ocupa a descrever com tamanho amor suas próprias lutas e dificuldades. E nessa descrição ele não reclama; ele se sente satisfeito! Satisfeito nas lutas, por causa do que ele via por meio dela, e enxergava além de si mesmo!

 

Paulo, o Apóstolo da Graça, o cara que mais se deleitava na Soberania de Deus, nunca deixou de identificar com as dores dos outros irmãos; com os problemas diários e cotidianos da Igreja!

 

Às vezes nós colocamos em pedestais tão altos, que ignoramos as dores dos que nos cercam, e os problemas “normais” das pessoas já não nos atinge mais! A lição de Paulo é: Se importe! Se envolva! Identifique-se!

 

“Eu de boa vontade me gastarei e ainda me deixarei gastar em prol da vossa alma” (II Coríntios 12.15)

 

Felipe Rocha

No Youtube #1

Gosto muito do Youtube, por ser uma ferramenta/tecnologia bastante útil para divulgar e expandir o nosso conhecimento e aprendizado para a vida.

Tal que gostaria de começar a compartilhar aqui no blog, tal como faço em nossa fanpge no facebook, os vídeos que tem me edificado bastante, despertado para reflexão e novos aprendizados na vida cristã.

Então, vamos lá para a primeira dica. Nesse vídeo, Francine Wash (do blog cristão Graça em Flor), faz uma resenha do Livro 12 Ways Your Phone Is Changing You, de Tony Reinke e Jonh Piper. Vale a pena ouvir essa resenha e aguardar a publicação deste livro aqui no Brasil.

 

DEVOCIONAL 13

3822398107-biblia-prisao

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.”

2 Timóteo 3:16-17

 

Todas as coisas foram fabricadas ou criadas com um manual por seus criadores. Um manual tem a função de orientar como usar corretamente determinado produto ou coisa, bem como o que fazer em caso de problemas e defeitos. Bem como onde levar, caso precise de ajuda.

E graças a Deus, não foi diferente em relação as nossas vidas. Nós fomos criados por Deus, e em nossa liberdade escolhemos desobedecê-lo, trazendo como consequência a morte, doenças, dor e sofrimento ao nosso mundo e vidas. Mas aprouve ao Senhor trazer a solução para todos os nossos pecados, problemas, defeitos ou erros que adquirimos após a nossa queda.

A solução de Deus foi e é o Senhor Jesus que se entregou a morte de Cruz por nós. Para que pudessemos nos voltar para o Nosso Criador e obtermos a Redenção de nossas vidas por seu intermédio. E Ele já nos deu o manual pelo o qual devemos viver e pelo o qual poderemos saber o que fazer em qualquer situação desta vida, bem como a maneira como podemos e devemos nos relacionar com o nosso Criador e Deus – a Bíblia.

Ela é o Nosso Manual de Fé e Prática!

Em Cristo Jesus,

Filipe Paulo Christian

 

 

Conselhos Práticos e as Diferenças no Discipulado de Homens e Mulheres

Small Groups (people engaged)
Débora me chamou na sexta-feira porque estava passando por um momento difícil em seu casamento. Como muitos pastores, eu regularmente apago incêndios como esse. Eu conversei e orei com ela, e depois liguei para o seu marido para conversar sobre a situação.

Há mil questões nas quais tenho que meditar quando pastoreio João e Débora (que não são seus nomes verdadeiros). Eu invisto mais tempo em João e indico a Débora uma mulher piedosa? Eu encontro ambos para aconselhamento conjugal? Devo encontrar com Débora e, se sim, qual é a minha responsabilidade pastoral para com ela?

Mas não são apenas questões práticas com as quais preciso lutar em uma situação como essa. Em um nível mais básico, como o ensino bíblico sobre homens e mulheres fundamenta meu trabalho pastoral?

“Complementarismo” é um termo para o ensino bíblico que chama homens a uma liderança sacrificial tanto em casa quanto na igreja, e chama mulheres a alegremente se submeterem à mesma liderança.

Este curto artigo discorre sobre como o complementarismo afeta os detalhes práticos do aconselhamento e do discipulado. Duas questões definirão a nossa discussão: 1) Em que um pastor precisa pensar ao discipular e aconselhar um homem? 2) Em que um pastor precisa pensar ao discipular ou aconselhar uma mulher?

Pensamentos sobre o pastor discipulando homens

O que um pastor precisa ter em mente quando discípula e aconselha homens?

Uma visão bíblica para o discipulado masculino

Comecemos com uma visão bíblica para discipular homens: devemos encorajar a semelhança com Cristo através de discipulado pessoal. Homens cristãos mais velhos devem deliberadamente investir em homens cristãos mais jovens, encorajando seu crescimento espiritual (Tt 2.1).

Nossa visão bíblica pode ser expandida em duas maneiras específicas: 1) devemos encorajar homens a amar a Palavra de Deus (Sl 1.2; Js 1.8) e a amar o povo de Deus (Ef 4.11-16); 2) devemos encorajar os homens a uma liderança forte, sacrificial e servil no lar e na igreja. Homens são chamados a olhar para Cristo, imitando o seu serviço sacrificial que concede vida (Ef 5.21-33).

Estratégia prática para o discipulado masculino

Movendo da visão para a estratégia, vale a pena notar que pastores frequentemente negligenciam o desenvolver de fortes homens líderes na congregação, porque usam o seu tempo e energia defensivamente. A tirania da urgência governa as suas agendas. Eles permitem que seu tempo seja gasto de maneira reativa a várias crises, ou preparando lições, sermões e eventos para o domingo seguinte. Como resultado, muitos pastores não têm estratégia de longo prazo para cultivar liderança masculina na igreja e em casa. Como conseguimos tal estratégia?

Comece com pouco. Escolha poucos homens que têm o potencial para ser bons líderes e organize almoços regulares com eles. Seja proativo em construir um relacionamento com esses homens. E, se você tem uma equipe de liderança, encoraje-os a fazer o mesmo.

Discipular homens é extremamente importante. Como pastor, você deve ser exemplo para outros nisso. Mas se você quer mais resultados, você pode considerar desenvolver um grupo de discipulado masculino que ajude os homens a pensar teologicamente a respeito de tudo na vida. Escolha bons recursos teológicos que ajudem os homens a aplicar teologia a questões como casamento, comunicação, finanças, sexo, paternidade, trabalho secular, etc. Você pode encontrar um bom exemplo desse tipo de desenvolvimento de liderança no livro do pastor Mike McKinley Plantar Igrejas é Para os Fracos (veja o capítulo sete).

Pensamentos sobre o pastor discipulando mulheres

Se pastores deveriam discipular homens para serem líderes no lar e na igreja, como isso difere de discipular mulheres?

Uma visão bíblica para o discipulado feminino

Comecemos novamente com uma visão bíblica. Assim como com os homens, os pastores deveriam buscar encorajar uma maior semelhança com Cristo em discipulado pessoal, só que nesse caso, as mulheres devem fazer a grande maioria desse discipulado. No curso normal dos relacionamentos na igreja, os homens devem discipular homens e mulheres devem discipular mulheres. Então encoraje cristãs mais velhas a investir nas cristãs mais novas, ajudando-as a crescer espiritualmente, o que é precisamente o que Paulo manda Tito a fazer, ou seja, instruir as mulheres em sua igreja (Tt 2.3-5).

Como, então, um pastor (que é homem) deveria pensar sobre conhecer, cuidar e pastorear as mulheres em sua congregação?

Se pensamos em discipulado como orientação de longo prazo deliberada, não parece sábio que um pastor discipule uma mulher (por exemplo, encontrando-se com ela semanalmente ao longo de um ano). Nós devemos reservar esse tipo de orientação espiritual intensa para relacionamentos de gêneros específicos. Nos resta, então, o aconselhamento, que é uma atividade  de curto prazo.

Embora alguns argumentem que pastores nunca deveriam aconselhar uma mulher, isso não parece estar em concordância com o que a Escritura diz sobre o pastor conhecendo todas as suas ovelhas (At 20.28; Jo 10.12, 16), e o exemplo específico que Jesus define para nós. Em João 4, Cristo tem uma conversa muito pessoal com uma mulher samaritana, entre os dois somente. Pastores precisam sim pastorear pessoalmente as mulheres em suas congregações.

Quais são algumas das coisas específicas que os pastores deveriam encorajar as mulheres a fazer? Pastores devem encorajar o amor delas pela Palavra e pela igreja, o respeito pela autoridade, o desejo de tornar o lar primário (mesmo que elas trabalhem fora de casa) e o crescimento em evangelismo pessoal. Para mulheres casadas, os pastores devem encorajar a suscetibilidade à liderança do marido. Para mulheres solteiras, os pastores devem encorajá-las a seguir a autoridade piedosa na igreja, especialmente quando seu pai não está envolvido espiritualmente em sua vida.

Ainda assim, os pastores devem primariamente buscar pastorear mulheres nesses caminhos através da capacitação de mulheres na congregação para discipular outras mulheres. Como pastores podem facilitar e construir essa cultura de mulheres discipulando mulheres?

Estratégia prática no discipulado feminino

Para construir uma cultura na igreja que encoraja o discipulado entre mulheres, os pastores devem ensinar sobre a importância do discipulado sempre que isso naturalmente surgir na Escritura durante uma série de sermões nos domingos. O objetivo nisso é encorajar as mulheres mais velhas da igreja a discipular as mais jovens.

Podemos também ensinar sobre discipulado em outros locais. Por exemplo, na minha igreja nós regularmente oferecemos um seminário no sábado sobre discipulado para ajudar novos membros a pensar em como serem discipulados e em como discipular outros. Também oferecemos uma classe de EBD de três meses de duração sobre discipulado todos os anos. Na última vez que ensinamos na classe, eu abordei várias mulheres mais velhas na igreja e as encorajei a participar. Ensino e modelo ajudam a construir uma cultura na igreja que leva a sério o discipulado.

Essas são algumas maneiras de construir uma cultura de discipulado, mas como o pastor pastoreia pessoalmente os membros do sexo feminino? Obviamente, haverá diversas oportunidades para fazer reuniões de aconselhamento em grupo, onde o pastor fornece conselhos gerais e aconselhamento bíblico para os problemas diários da vida.

Se o problema requer mais do que uma reunião, o pastor tem que julgar quando o aconselhamento de curto prazo precisa passar a ser um discipulado de longo prazo. Mas antes que as coisas sequer alcancem esse ponto, muitos pastores precisam parar de se reunir por causa das pressões de suas agendas cheias. Ao invés de eles mesmos se reunirem com as mulheres, eles sabiamente conectam o membro do sexo feminino com outra pessoa na igreja (como um membro feminino da diretoria, a esposa do pastor ou uma mulher mais velha na congregação) ou alguém de fora que possa ajudar (como uma conselheira local ou uma organização para eclesiástica que seja especializada em questões como violência doméstica).

 

Para aconselhar mulheres sabiamente, os pastores precisam criar alguns limites:

Limite o número de reuniões que você tem com qualquer mulher. Você deve ser cuidadoso para não alimentar uma dependência emocional do pastor. Especialmente, no caso de mulheres em maus casamentos, você não deve ser um substituto emocional ou espiritual de seus maridos.

Seja muito, muito cauteloso com mulheres emocionalmente dependentes. Mulheres muito necessitadas anseiam por encontrar um homem que deem atenção a elas, e pastores frequentemente possuem um ouvido compreensivo e são bons ouvintes. Embora você deva sim oferecer aconselhamento gentil e piedoso, você não deve alimentar intimidade ou dependência emocional errôneas.

Sempre que possível — dependendo da situação de sua família — inclua a sua esposa

Certifique-se de fazer o aconselhamento em um gabinete onde você seja sempre muito visível. Coloque a sua cadeira na linha de visão daqueles fora do gabinete. Se a porta do seu gabinete não tiver vidro, substitua por uma que tenha.

Faça aconselhamento com mulheres apenas durante horário comercial, para que a secretária da igreja ou outros funcionários estejam presentes no prédio da igreja. Nunca fique sozinho com uma mulher na igreja para que você seja sempre irrepreensível (1Tm 3.2).

Se possível, posicione a mesa da secretária próximo à porta do seu gabinete

Alguns pastores preferem manter a porta escorada levemente aberta (ou totalmente aberta), certificando-se de que, caso a secretária ouça a conversa, mantenha o sigilo.

Não faça aconselhamento em uma parte isolada da igreja, mas em algum lugar onde haja bastante movimento, com pessoas passando constantemente.

Certifique-se de que pelo menos um membro da diretoria conheça (ou pelo menos tenha acesso à) sua agenda. Se ninguém mais sabe o que você está fazendo, há mais potencial para você esconder coisas.

Certifique-se de que você tenha uma prestação de contas regular com outro pastor ou líder em sua igreja, o que inclui conversar sobre as suas mais difíceis situações de aconselhamento.

O privilégio de pastorear o rebanho de Jesus

Que privilégio imenso é ser um pastor auxiliar de Jesus. Quer sejam homens ou mulheres, esperamos cuidar bem das ovelhas confiadas ao nosso cuidado. Pastores, aprendam com o exemplo de Cristo: “Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas” (Jo 10.11).

 

 

Autor: Deepak Reju

Fonte: 9Marks

Tradução: Alan Cristie

Via: Ministério Fiel

http://reformados21.com.br/2017/09/20/conselhos-praticos-e-as-diferencas-no-discipulado-de-homens-e-mulheres/

 

DEVOCIONAL 12

RH-JacobAndEsau_DSC_0091

Leitura Gênesis 32.22 – 30

“COMO TE CHAMAS?”

“Perguntou-lhe, pois: Como te chamas? Ele respondeu: Jacó. […]”
Gênesis 32.27

Esse é um trecho muito (muito!) conhecido! Com toda a certeza você já ouviu pregações sobre ele. Tem até um “corinho de fogo” antigo sobre. É mais ou menos assim: “Jacó segurou o anjo, segurou o anjo, e não quiz soltar-arrr”!!!!

Quero porém me ater a pergunta que foi feita a ele: “como te chamas?”. Jacó tinha iniciado sua caminhada como fugitivo. Alguém que fugia, não como injustiçado, mas como causador de dor. Ele era um enganador!

Ao ouvir essa pergunta, ele foi forçado a admitir o seu passado desonesto. Ele teve que deixar-se reconhecer pelo o que – até então! – era!

Mais a afirmação que vem na sequência a essa pergunta, é transformadora: “Te chamarás Israel!” Somente aquele que o havia ferido tinha autoridade para lhe dar uma nova vida! Um novo caráter!

“Feriste-me o coração com tua Palavra e te amei” Santo Agostinho

E você, como te chamas?

Felipe Rocha