Arquivo da categoria: Dicas

Ministério de Homens – Café da Manhã (Série) 

cafezinho

Nesta série de artigos – Ministério com Homens, estaremos trazendo várias dicas de como iniciar e realizar um bom trabalho com os meninos, rapazes e homens de sua igreja, família e comunidade. 

 

Na dica de hoje, trago como uma excelente ação em prol de criar e fortalecer relacionamentos dentro da igreja, bem como evangelizar homens e rapazes não cristãos – o café da manhã dos homens na Igreja. 

 

Pude ver essa ação sendo realizada pela Primeira Igreja Batista de Cajueiro, aqui em Recife/PE. Onde uma vez por mês, normalmente no primeiro sábado de cada mês, logo cedo de manhã das 7h as 9h, realizam esse encontro de homens, rapazes e meninos para juntos orarem, compartilhar uma palavra e testemunho de conversão e transformação de vida em Jesus, louvar ao Senhor juntos. E logo após esse momento de comunhão com Deus e edificação mútua, tomam um maravilhoso café da manhã juntos. 

 

Essa é uma das ações do ministério de homens dessa igreja. E que serve como dica para as demais igrejas, de uma maneira excelente de iniciar e realizar o ministério de homens em sua igreja. E que benefícios podemos colher disso: 

  • Criar e fortalecer relacionamentos. Pois começar o dia orando, louvando ao Senhor, ouvindo a Sua Palavra, ouvindo o testemunho de conversão e transformação no Senhor e finalizando com um café da manhã abençoado. Não tem como não serem criados e fortalecidos os relacionamentos de amizade e família dentro de um clima e ambiente cristão como esse e tantos outros que a igreja nos proporciona. 
  • Ocorre edificação do Corpo de Cristo (Mateus 18:20). Pois é um momento rico para haver encorajamento, consolação, aconselhamento mútuo, correção e exortação amorosa, oração e intercessão, ensino e pregação da Palavra de Deus, testemunhos, etc. 
  • É uma oportunidade de pregar e anunciar o Evangelho a homens e rapazes que ainda não seguem e servem ao Senhor Jesus; 
  • Discipular e treinar homens que discipulem e cuidem de outros homens (2 Timóteo 2:1-2). Mais do que nunca devemos nos preocupar e investir tempo e recursos no discipulado dos homens de nossas igrejas e famílias. Com o objetivo de que eles alcancem outros para Cristo e assim por diante. 

 

Esses são alguns dos benefícios pelos quais vale a pena investir nesse tipo de programação para a sua igreja. Uma dica que pode ser implementada nesse café da manhã (antes, durante ou depois) seria um momento de prestação de contas (que pode ser em dupla, pequenos grupos de 3 pessoas ou no coletivo), onde os homens estariam livres para fazer confissões de tentações, lutas e fracassos, dizer como foi a semana, como está a vida devocional deles, áreas de suas vidas em que eles tem avançado, etc. 

 

Resumindo e como forma de sugestão 

Café da Manhã dos Homens 

Período do dia: Manhã 

Horário ideal: 7h as 9h 

Regularidade: Inicialmente 1 vez por mês. Podendo ser semanal ou 2 vezes por mês. 

Programação: Boas Vindas, Oração, Louvor, Palavra Devocional, Testemunho, Oração e Ação de Graças. E o café da manhã. 

 

 

 

“Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.” 

Salmo 133:1 

 

Em Cristo Jesus, 

Filipe Paulo Christian 

Anúncios

Ministério  com Homens – Dicas (Série)

 Three-Gens-960x640

Nessa série de artigos, irei dar várias dicas de como podemos iniciar um ministério de homens em nossas igrejas. Bem como de atividades e programações que podem ajudar no trabalho em discipular e ajudar os homens de nossas igrejas, dos mais novos aos mais velhos. 

 

Numa geração em que o feminismo é exaltado e cada vez mais vemos homens e rapazes efeminados sendo aclamados. Precisamos criar, discipular e ajudar os meninos e homens de nossas igrejas e famílias a serem realmente homens. 

 

E o melhor referencial de homem não está na mídia, lá fora ou mesmo é impossível de ser visto ou imitado. Pois o nosso melhor, maior e mais completo referencial do que significa ser homem é Jesus Cristo. 

 

Aqui em nosso blog, destacamos diversos bons exemplos de homens de Deus e também de atitudes de homens que vale a pena imitar. Porém, nenhum deles é perfeito, completo e bom 100%. Mas em suas fraquezas podemos aprender muito, bem como em suas qualidades podemos crescer ainda mais. 

 

Mais que sempre tenhamos em vista o Senhor Jesus Cristo, de maneira a seguir os seus passos em nossas vidas. E em cada área de nossas vidas. 

 

 

Em Cristo Jesus, 

Filipe Paulo Christian 

Por que participar de um curso de noivos?

dia-dos-namorados-ideias-romântico

Infelizmente, são pouquíssimas as igrejas que oferecem aos jovens noivos um curso de noivos ou aconselhamento pré-nupcial, ou mesmo acompanhe o casal em seus primeiros anos de casamento, orando, aconselhando, mostrando o seu próprio exemplo, etc.

 

 
E por conta disso, nos deparamos com homens e mulheres imaturos, inseguros e despreparados para a vida a dois. Muitos casais acabam se separando mesmo com poucos anos de casados e por motivos banais. Ou acabam vivendo e enfrentando muitas dificuldades internas e externas ao casamento e não sabendo lidar com elas, acabam por sucumbir.

 

 
Minha intenção e oração é que se em sua igreja ou região existe um curso de noivos, que você noivo participe de maneira intencional e ativa. Mas se não tem que você procure seu pastor, para um aconselhamento pré-nupcial, para conversar, expor preocupações e lutas, perguntar e tirar dúvidas sobre sexualidade, família, casamento e tudo o mais que envolva a vida a dois.

 
Bom seria ou será que toda igreja cristã desenvolvesse bons cursos de noivos, a fim de preparar, orientar e ajudar os jovens namorados e noivos para viverem o casamento de maneira a glorificar a Deus.

 
Pois infelizmente, vejo inúmeras iniciativas para cuidar de casais casados, mas nenhuma ou pouquíssimas para preparar e treinar os futuros casais, evitando assim, ter que se preocupar e gastar tempo em aconselhamentos e acompanhamento para tratar de problemas que poderiam ter sido tratados e resolvidos antes mesmo de surgirem ou se tornarem maiores (como por exemplo nas áreas financeira, sexual, emocional, familiar, profissional, etc).

 
Trago nesse artigo, alguns bons e importantes motivos para participar de um curso de noivos:

 

– Para aprender sobre casamento

O curso de noivos visa preparar os noivos para a vida a dois, com suas alegrias e desafios. É diferente de você ler livros sobre casamento ou mesmo ouvir pregações a respeito, pois em um curso de noivos você e sua noiva terão temas e áreas do casamento abordadas de maneira particular e abrangente.
Como por exemplo: Sexualidade, Finanças Pessoais, Criação de Filhos, Os papeis do Homem e da Mulher, Relacionamento com a família dela e vice-versa, etc.

 
– Para ouvir as experiências e testemunhos de casais casados
Normalmente, os cursos de noivos são ministrados e realizados por pessoas casadas. Ou seja, que já passaram por diversas experiências que você como noivo, já passou e irá vivenciar. Como por exemplo paquera, namoro, noivado, casamento, filhos,etc.
Bem como experiências e coisas mais especificas deles de maneira a trazer lições para a sua vida e relacionamento.

 
– Para estarem preparados para o futuro breve

Brevemente, você estará casado com sua noiva. E fica uma pergunta: Você está preparado para o casamento? Para deixar a vida de solteiro? E viver com um homem casado e comprometido com uma só mulher? Você realmente ama e desejar estar com sua noiva pra vida inteira? Formar uma família com ela? E Inclui-la em sua vida?
Essas são perguntas que vale a pena você refletir a respeito e conversar com outros homens casados, maduros e cristãos genuínos. Bem como seu pastor ou o casal responsável poderá lhe fazer perguntas semelhantes a estas e, o que você responderá?

 

– Tirar dúvidas e perguntar
O curso de noivos ou aconselhamento pré-nupcial é o momento e lugar certos para você perguntas sobre qualquer assunto relacionado a casamento e família. Expor suas dúvidas e encontrar respostas não meramente teóricas, mas baseadas na Palavra de Deus e na prática de casais que amam e vivem o que Deus nos ordena e recomenda na Bíblia.
– Para se expor e sermos tratados por Deus através de nossos irmãos e irmãs
Outro motivo importante para participar de um curso de noivos é expor problemas, tentações, lutas e dificuldades diversas que direta ou indiretamente podem afetar o seu casamento antes mesmo de começar ou durante a caminhada a dois de vocês.
E que problemas ou questões podem ser estas?
Descontrole financeiro, vícios (álcool, drogas, pornografia, gula), um passado problemático, um histórico de depravação sexual no passado, uma família problemática, falta de iniciativa masculina, insubmissão feminina, conciliar trabalho e estudos, etc.

Aqui neste artigo, pude trazer alguns dos principais motivos para você e sua noiva participar de um curso de noivos ou mesmo procurarem ter com seu pastor um aconselhamento pré-nupcial ao longo de seu noivado.

Em meu noivado com minha esposa, pude participar de um curso de noivos e frequentar um discipulado voltados para namorados, noivos e casados é ser imensamente abençoado por esse rico tempo de formação, preparo e orientação para o casamento.

 

Hoje desfruto de frutos desse tempo de preparo, como por exemplo: ter momentos devocionais com minha esposa, dedicar tempo para o dialogo com ela diariamente, estarmos sempre em contato com nossas famílias de origem e vice-versa, ajudar nas tarefas domésticas, se preocupar com o bem estar espiritual, emocional e físico de minha esposa, etc.

Num tempo em que muitos se preparam para o fracasso, que possamos ser uma geração de homens e mulheres que se preparam para Glorificar a Deus e render-lhe Glória, Honra e Louvor por meio de nossas vidas e casamento.
“E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.”
Gênesis 2:18

Em Cristo Jesus,
Filipe Paulo Christian

Uma carta aos meus filhos sobre pornografia

atitudes-maes-transformam-filhos

Meus queridos filhos,

O olho contempla tanto o bem quanto o mal nesta vida. Olhar leva a tornar-se. O que nós continuamente colocamos diante de nossos olhos e mentes moldarão e determinarão quem somos. As imagens dizem ou a verdade ou a mentira, mas todas elas falam.

 

Além disso, os nossos olhos naturais são coisas sensuais que não são satisfeitas facilmente (1João 2.16). Um olhar lascivo pode nos mudar. Um olhar pode alimentar o monstro interior de modo a erguer a sua cabeça feia à procura de mais.
“Alimente-me”, diz ele. Seu apetite é feroz e insatisfeito. Um olhar conduz a outro, e, em seguida, a muitos outros mais.

 
Tal é o reino do desejo sexual — um mundo de pornografia leve e livre — e dos segredos contidos em navegadores de internet. O que vocês veem, meninos, vocês se tornam. Se vocês fervem o seu chá por muito tempo, ele fica amargo.

 

Assim, se vocês se sentarem e se encharcarem de fantasias pornográficas, sua vida terá um sabor amargo. A princípio, os sabores podem parecer doces, mas a amargura sempre será o resultado final. E essa amargura será compartilhada um dia em suas interações com moças, no modo como vocês pensam sobre moças, falam com as moças, tratam as moças e se interessam por elas.

 
Uma educação ímpia sobre sexo
A pornografia deforma a sua visão sobre as moças, estejam vocês conscientes disso ou não. E um dia, a pornografia pode afetar a sua futura esposa. As mulheres exuberantes na tela do computador podem não sentir diretamente os efeitos de sua luxúria, mas elas as sentem indiretamente, enquanto vocês alimentam a indústria que as escraviza e as trafica.

 
Mas as imagens não podem sentir o doloroso pesar e perda que uma esposa sente quando os pecados ocultos de seu marido são inevitavelmente revelados. Peço a vocês que não deixem o chá ferver por muito tempo; não deixem que alguém contemple os milhares de olhares ao longo de anos. Se isso acontecer, vocês sentirão amargura, meus filhos, e vocês desejarão vomitá-la.

 
A luxúria distorce a glória tanto da masculinidade quanto da feminilidade bíblicas; vai contra a ordem divina dada no jardim do Éden. Os homens devem cuidar das mulheres — prover e protegê-las com força humilde — não devem explorar e dominar. As mulheres são fortes, capazes e iguais a eles, e não objetos a serem usados e descartados.
Mas a indústria da pornografia rebaixa homens e mulheres, e os reduz de todas as formas a simples atores de luxúria animal por pixilação#1, em vez de honrá-los como complexos e gloriosos portadores da imagem do seu Criador. Essa é a sociedade de consumo em que vivemos, desvalorizando os seres humanos enquanto eles são oferecidos para consumo. A indústria pornográfica se apresenta como um zoológico sexual virtual para busca de prazer.

 
Um lugar muito melhor para olhar
Vocês, meus filhos, são chamados por Deus para rejeitar o consumismo sexual. Vocês são chamados por Cristo a buscarem o prazer nele e a derramarem a sua vida em sacrifício altruísta a Deus e aos outros.

 
Jesus Cristo é o oposto da pornografia. Jesus viveu uma vida de negação e sacrifício. Jamais ele teve qualquer luxúria. O sexo para ele era desnecessário, já que era perfeitamente à imagem de Deus. Ele humilhou-se e colocou-se como último, a fim de colocar-nos em primeiro lugar.

 

A pornografia é autoexaltação. É colocar os seus prazeres e desejos em primeiro lugar, antes da glória de Deus e do bem dos outros. Visto que Cristo é o oposto da pornografia, então, olhem para Cristo em sua luta contra a tentação sexual e contra o pecado. Quando vocês contemplarem a Cristo, se tornarão semelhante a ele.

 
“Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo” (2Coríntios 4.6).
Olhem em sua face e a pornografia começará a parecer estranhamente obscurecida.

 

 

Um lugar seguro após a falha sexual
Quando Moisés solicitou a Deus que lhe mostrasse a sua glória (Êxodo 33.18), a glória de Deus no evangelho de Jesus Cristo ainda não havia sido totalmente revelada. Quanto mais glorioso é para vocês, quando pedirem a Deus que lhes mostre a sua glória agora, depois da cruz e da ressurreição? Vocês apenas precisam ler sobre essa glória na Palavra de Deus e meditar sobre ela em seus corações e mentes. Vocês serão transformados. “Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra” (Salmos 119.9).

 
E se vocês estão atraídos por prazeres ilícitos na internet, lembrem-se das palavras de Robert Murray M’Cheyne: “Para cada olhar para si mesmo, olhe dez vezes para Cristo”. Um olhar para o seu eu pecaminoso carece de dez olhares para Cristo pregado numa cruz por vocês. Estar em Cristo é a única qualificação que nós precisamos para contemplarmos a sua glória, mesmo depois de termos pecado. Somente Ele é a cura e a prevenção para o seu pecado.

 
Sê tu a minha visão

 
Lembrem-se do que Jesus disse em Mateus 6.22: “A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz”.
Um olho bom indica visão clara, e vocês terão uma forma espiritualmente boa de olhar para as coisas (como o dom do sexo).

Porém os seus olhos podem mentir para vocês se verem apenas com eles e não através deles. Os seus olhos podem corromper os seus corações e as suas mentes, se estiverem usando-o apenas para verem o que está diretamente diante de vocês. Quando seus olhos estiverem cheios com a glória de Deus em Cristo, vocês verão claramente todas as mentiras distorcidas da luxúria.

 
Antes que papai e eu tivéssemos vocês, meninos, nós planejamos o nosso casamento. Eu desejei cantar o meu hino favorito: “Sê Tu a Minha Visão” [“Be Thou My Vision”], antes de caminhar até o altar. Minha oração foi que Cristo sempre fosse a minha visão no casamento, mas agora essa oração também envolve vocês. Eu oro para que Cristo seja a sua visão em toda a vida — que os seus olhos sejam cheios da glória que conduz à verdade, à vida e à alegria. Aquilo que vocês colocam diante de seus olhos os transformarão. Que isso vos encha de luz e não de trevas.

 

 
Com amor,
Sua mamãe.

 
#1: Pixilação: é uma técnica que capta imagens de atores ou objetos reais, criando uma sequência de animação.

 

 

Por: Liz Wann. © 2016 Desiring God. Original: A Letter to My Sons About Pornography
Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: William Teixeira. © 2016 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Original: Uma carta aos meus filhos sobre pornografia
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

 

 

Liz Wann (@liz_wann) tem um bacharelado em Inglês e escrita pelo Rollins College. Ela agora vive na Filadélfia com o seu marido e dois filhos pequenos. Ela escreve em lizwann.com. Ela é uma mãe que permanece na vida comum do lar em tempo integral

A OBSESSÃO POR OBRAS INACABADAS

Observe o texto bíblico de Lucas 14.28-30, e depois a imagem abaixo:

homem-nervoso 

“Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para concluí-la? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pode acabar.”

 

O diagrama abaixo ilustra como se torna o seu estilo de vida quando você esta trabalhando no modo não sadio, com compromissos em demasia. Muitos hoje, nos chamam pra viver “fora da caixa”, pra “pensar fora da caixa”; sem, no entanto compreender o real risco que é tal convite. Pedir pra pensar teologicamente fora da caixa, é um acinte a Palavra de Deus. Ela é nossa caixa, a nossa limitadora, o nosso padrão; o mesmo se dá quando tentamos viver completamente fora dos nossos limites saudáveis, assumindo compromissos fora das nossas condições, indicado pelo ‘X’ espalhados fora do perímetro da Caixa. Acabamos nos dedicando a projetos para os quais não temos tempo, força emocional, energia física ou recursos financeiros de modo que possam ser levados adiante sem que haja alguma avaria em algum ponto do caminho. A sabedoria esta em conhecer os limites dados por Deus e permanecer dentro deles.

 

Essa ilustração foi ainda melhor sintetizada pelo texto que lemos; quantas vezes damos inicio a uma série de torres em nossas vidas, que nunca fomos capazes de terminar? Quantas ainda foram terminadas, mais qual o preço que pagamos por elas? Quando olhamos o local da construção, vemos o espaço repleto de corpos de trabalhadores, que pressionamos além de seus limites durante a obra – e em geral, esses corpos, são dos nossos entes queridos e amigos.

 

Basicamente temos dois recursos muito importantes para trabalhar na construção de uma vida: tempo e dinheiro. Esses são os dois dos quais mais frequentemente abusamos, o que coloca pressão em todas as outras áreas da vida; o bem estar emocional, espiritual e físico. Uma pesquisa feita nos Seminários de Patrick Means (autor do livro “Conflitos Secretos dos Homens”) documenta o espectro do problema entre os homens cristãos: mais de um terço dos participantes afirma que algumas das necessidades básicas de sua família não são atendidas por causa da falta de dinheiro; e o surpreendente percentual de 85% afirma não ter tempo suficiente para cumprir adequadamente suas várias responsabilidades. Felizmente essa situação tem solução; permita-me apresentar 2 conceitos bastante simples:

 

1. GASTE SEU TEMPO DE MANEIRA SÁBIA

 

Deus de fato espera que trabalhemos duro e que estejamos envolvidos no ministério a outras pessoas. Mas é Sua clara intenção que o nosso cerne seja sadio primeiro – que reservemos o tempo que for necessário para continuar crescendo em nossa vida pessoal e em nossos relacionamentos básico como marido e pai. O que vou dizer pode te chocar: o trabalho e as atividades externas, incluindo as ministeriais, tem uma prioridade inferior. Não quero em absoluto dizer com isso que as atividades da Igreja não são importantes, mais o Reino de Deus não se resume a cultos e atividades da Igreja; TAMBÉM está nos cultos e nas atividades. O equilíbrio é fundamental, tanto pra não usar a Igreja como escape dos problemas do casamento e de caráter, nem desiquilibrar o casamento por falto do tempo dedicado a ele. Cinco dicas fundamentais pra realocar tempo, (descobrindo tê-lo!):

 

• Atire no o seu televisor, matando-o! (metaforicamente, claro)

• Reavalie o tempo dedicado a seus hobbies e suas atividades esportivas

• Considere ser voluntário apenas pras questões e ações mais importantes

• Destrone a internet

• Não leve trabalho pra casa

 

2. GASTE O SEU DINHEIRO DE MANEIRA SÁBIA

 

A segunda grande área de estresse para os homens hoje são as finanças. Tem sido o principal motivo de brigas, estresse e separações.

• Viva dentro dos seus limites

• Faça um orçamento e siga-o à risca

• Descarte os cartões

• Se não pode comprar agora, não compre.

• Fuja das facilidades do empréstimo bancário

 

Felipe Rocha

 

Trecho do estudo ministrado em Junho/2017 aos Homens de Honra (O Homem e sua mulher; o desafio de amar em meio às tempestades da vida). Você pode ter acesso a esse e todos os demais estudos! Gratuitamente! Baixe nosso aplicativo, clicando nesse link: http://app.vc/homens_de_honra_cv

 

Compartilhando o Evangelho com um Amigo Homossexual

CONVERSAR-PESSOA

 

Josh sempre soube que ele era diferente. Desde suas memórias mais antigas, ele olhava para alguns meninos como mais do que apenas colegas. Seus pais sabiam que ele era “especial”, mas o amavam por isso. Ele aprendeu a usar uma máscara e fazer o papel de criança “normal” até se formar no Ensino Médio.

 

Na faculdade, Josh decidiu que era hora de ser quem ele realmente era. Ele fez amizade com outros homossexuais e se lançou em descobertas sexuais. Josh encontrou um refúgio em sua comunidade gay e desenvolveu laços que foram muito além de aventuras sexuais. Embora seus pais tenham se distanciado e seus antigos amigos tenham passado a ignorá-lo, Josh sentiu que estava finalmente livre em sua nova identidade como um homem gay.

 

Josh não é uma caricatura. Suas experiências e sua história são verdadeiras, e elas são comuns.

 

E se Josh fosse o seu vizinho, ou seu colega de trabalho, ou o seu filho? Como você apresentaria o evangelho para ele? Como você contaria a ele a respeito do perdão de pecados, da comunidade de crentes e da verdadeira identidade em Jesus?

 

Em certo sentido, nós presumiríamos que de fato não existe diferença na maneira como apresentaríamos a Josh as boas novas em relação a qualquer outra pessoa. Só porque Josh sente atração sexual por pessoas do mesmo gênero, isso não o torna fundamentalmente diferente de ninguém.

 

Para muitos dos meus amigos cristãos que amam Jesus e lutam contra a mesma atração homossexual, a beleza do evangelho é que ele aborda cada área de suas vidas e não apenas uma expressão somente da queda. Todos nós que somos crentes sabemos disso. Quer tenhamos sido ateus, mentirosos, muçulmanos ou hipócritas frequentadores de igreja, não existe um evangelho mágico apenas para o “nosso pecado”. Aos pés da cruz todos nós somos igualmente necessitados da maravilhosa graça de Deus.

 

Ao mesmo tempo, Josh tem perguntas muito reais que precisam ser respondidas. Da mesma maneira que um ateu, um muçulmano ou um hipócrita precisaria que o evangelho fosse dirigido a eles pessoalmente, nós devemos aprender a amar Josh onde ele está em suas considerações a respeito das afirmações de Jesus. Ele tem perguntas reais com as quais luta, e devemos buscar ajudá-lo a encontrar essas respostas.

 

Ideias para compartilhar o evangelho

 

Para compartilhar o evangelho com Josh ou com qualquer outra pessoa que possa ter perguntas como as dele, aqui vão algumas ideias para você guardar em mente.

 

1. Confie no poder de Jesus para ajudá-lo

 

Confie no poder de Jesus para ajudá-lo. Pode ser intimidador para pessoas que nunca lutaram contra a atração homossexual compartilhar o evangelho com um homem ou uma mulher homossexual. Assim como qualquer um com quem compartilhamos o evangelho, tememos como eles nos julgarão e nos sentimos tentados a pensar que eles nunca nos ouviriam. O temor do homem é uma cilada (Pv 29.25). Então em vez de sermos apanhados na armadilha, devemos confiar na força de Jesus em nós, e não na nossa suficiência para entregar a mensagem (Jo 15.5; 2Co 3.5). Devemos beber profundamente do evangelho enquanto o compartilhamos, pois nele encontramos o poder que precisamos para sermos testemunhas de Jesus (At 1.8). Confie no poder de Jesus para ajudá-lo.

 

2. Mantenha Jesus no centro

 

Considere Jesus supremo. Amigos como Josh frequentemente irão querer trazer a questão da sexualidade para o foco durante sua conversa. Ao mesmo tempo, queremos manter Jesus e seu evangelho no centro.

 

A fim de ajudar, eu encorajo você a pedir que ele compartilhe a própria história com você. Peça que ele ou ela ajude você a entender como ser gay se tornou parte central de sua identidade. Ou, se não é esse o caso, pergunte onde ele ou ela encontra a própria identidade. Pergunte a ela se já houve momentos difíceis em sua jornada. Conhecer as pessoas é parte do processo de amá-las.

 

Conforme você faz isso, pergunte a ela se você pode contar porque você vê a sua identidade em Cristo como suprema. No fim das contas, não estamos tentando transformar as pessoas em heterossexuais, mas queremos que elas sejam salvas. Nós nunca queremos minimizar os pecados que afastam as pessoas de Deus, mas ao mesmo tempo queremos magnificar quem nos aproxima de Deus. Jesus veio para pecadores de todos os tipos, e devemos manter essa mensagem central.

 

Também é bom se ter em mente que todos são pecadores sexuais — alguns de maneiras menores, outros de maneiras maiores. Isso nos ajuda a reformular a conversa de “Você é sexualmente doente e precisa ser como nós” para “Todos nós somos pecadores sexuais que precisam de Jesus”. Jesus é a esperança para todos nós, não importa como a queda se mostre em nossas vidas.

 

3. Tenha a compaixão e a convicção de Jesus.

 

Tenha a compaixão e a convicção de Jesus. Os cristãos têm pecado em, pelo menos, duas grandes áreas quando se trata de alcançar aqueles na comunidade gay. Por um lado, alguns colocam de lado o claro ensinamento de Deus de que o homossexualismo é um pecado na tentativa de mostrar o amor de Deus. Amor que é despojado de verdade não é amor, mas engano. Esse é um pecado grave, tanto contra Deus quanto contra o homem.

 

Tenha a convicção de Jesus e fale a verdade em amor. Compartilhe o que a Bíblia ensina sobre o homossexualismo (Mc 7.21; Rm 1.24-27; 1Co 6.9-10; 1Tm 1.10). Compartilhe que há um terrível julgamento para aqueles que rejeitam a Cristo (Ap 20.11-15). Compartilhe que existe um grande custo em seguir a Cristo e também uma grande esperança de perdão e liberdade para aqueles que o fazem (Mc 10.28-30). Fale a verdade em amor.

 

Por outro lado, alguns têm negligenciado a compaixão e nutrido uma atitude de superioridade para com pessoas que praticam o pecado homossexual. Amor que é despojado de compaixão não é amor, mas hipocrisia. Esse também é um pecado grave, porque é diferente do amor de Cristo para conosco.

 

Jesus, o Deus-homem, era diferente do mundo de pecadores que o cercavam, mas ainda assim teve compaixão deles (Mt 9.36). Conforme alcançamos aqueles na comunidade gay, devemos nos esforçar para fazê-lo com um coração semelhante. O que poderia ser mais desolador do que uma pessoa criada à imagem de Deus estar perdida em seus pecados e para sempre separada do amor de Deus? Peça a Deus que o ajude a ver aqueles na comunidade gay como ele vê, a fim de que você possa ministrar com convicção e compaixão.

 

4. Coloque a igreja de Jesus no centro

 

Coloque a igreja de Jesus no centro. Assim como foi para Josh, a comunidade gay é um refúgio da rejeição e da agitação interior que muitos homossexuais experimentam. Por causa disso, eles encontram um lugar onde eles são aceitos em seus pecados e adotados por quem eles são.

 

Eu creio que um dos grandes antídotos para essa poderosa ferramenta do maligno é a comunidade da igreja. Isso pode parecer estranho tendo em vista o modo como muitos demonizam a igreja por causa de sua “intolerância”, mas acredito que conforme construímos relacionamentos com amigos gays e os convidamos aos nossos lares e às nossas vidas, eles verão a verdadeira comunidade que só conheceram em seus sonhos.

 

Isso só é reforçado quando nós, como igreja, crescemos em graça para com nossos irmãos e irmãs em Cristo que lutam contra a atração homossexual. Um dos momentos mais instrutivos que tive na última década foi quando um neófito estava sendo batizado e compartilhou abertamente a respeito de estar saindo de um estilo de vida homossexual. Em seu testemunho, ele descreveu como a igreja não apenas havia compartilhado o evangelho compassivamente com ele, mas também estava ajudando-o a viver agora como um homem que luta contra os seus antigos desejos. Ele disse que encontrou na igreja um refúgio que o desafiou a não abraçar seu pecado, mas a abraçar o Salvador.

 

Jesus disse que todas as pessoas saberão que somos seus discípulos pelo nosso amor (Jo 13.34-35). Conforme você constrói relacionamentos com amigos homossexuais, convide-os a participar da sua vida para que eles possam não só ouvir o evangelho, mas também vê-lo representado através da vida da sua igreja local.

 

5. Ajude a responder suas perguntas

 

Ajude a responder suas perguntas. Sempre existem objeções ao evangelho e poucos de nós se sentem “plenamente preparados” para responder a essas objeções. Mas Deus nos chama a defender a nossa esperança em Jesus (1Pe 3.15). Isso significa que devemos ajudar as pessoas a lutar com perguntas muito reais. Aqui estão algumas que Josh fez:

 

Por que você acredita em alguns versículos do Antigo Testamento e ignora outros?

Por que Deus me fez gay se ele condena isso como um pecado?

Por que é errado que duas pessoas que se amam se comprometam em um relacionamento?

Eu tenho que me tornar heterossexual para me tornar um cristão?

Por que Jesus não disse nada a respeito do homossexualismo?

E se eu me tornar um cristão gay?

Parte do nosso chamado como embaixadores de Cristo é ajudar as pessoas a trabalharem perguntas como essas e a verem que a Palavra de Deus tem as respostas. Se você não sabe a resposta, não tenha medo de dizer: “Essa é uma pergunta realmente importante. Podemos encontrar a resposta juntos?”

 

6. Tenha paciência

 

Tenha paciência com eles. Assuma uma visão de longo prazo no evangelismo. É raro você compartilhar o evangelho com alguém e a pessoa se arrepender imediatamente. Isso pode acontecer, mas normalmente o processo é muito mais demorado.

 

Entre em relacionamentos evangelísticos de longo prazo. Nós somos impacientes, e isso pode nos tentar a desistir rápido demais quando não vemos resultados. Pessoas são pessoas, não projetos. Frequentemente não veremos o que Deus está fazendo em suas vidas. Veja a si mesmo como parte dos meios que Deus escolheu para ajudá-las a ver e a ouvir o evangelho de Jesus. O amor é paciente. Demonstre a eles amor estando presente ao longo de todo o processo.

 

7. Confie no poder de Jesus para salvar

 

Confie no poder de Jesus para salvá-las. O evangelho é o poder de Deus para a salvação (Rm 1.16-17). Isso significa que o evangelho para um homem ou mulher homossexual é o mesmo evangelho para um homem ou mulher heterossexual. O homossexualismo não é o pecado principal; incredulidade é o pecado principal. Jesus morreu por todos os tipos de pecados e por todos os tipos de pecadores.

 

Então não duvide do poder de Cristo, mas ore fervorosamente por corações receptivos, portas abertas e frutos que permaneçam. Confie na sabedoria de Deus e no poder de Deus, não no seu. Lembre-se que cada cristão é um milagre vivo. Se Jesus pode salvar você, ele pode salvar qualquer um, inclusive Josh.

 

O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Autor

Garrett Kell

Garret Kell é pastor sênior da Del Ray Baptist Church em Alexandria, Virginia.

13 Sugestões Práticas para Pastores Treinarem Novos Líderes

Amigos-se-Ajudando-600x288

A maioria dos pastores está bem familiarizada com a tirania do urgente. Geralmente há tantas brechas a tapar que parece impossível diminuir o ritmo e gastar o tempo que é necessário para treinar uma tripulação – isto é, para levantar novos líderes de igreja.

 

Contudo, como pastor, há diversas razões pelas quais você deve estar regularmente discipulando homens que tenham o potencial para servir como presbíteros, seja na sua igreja ou em outra.

 

Por que pastores devem treinar líderes

 

1. A Escritura ordena.

 

Em 2 Timóteo 2.2, Paulo escreve: “E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros”. Uma vez que 2 Timóteo não foi escrita somente para Timóteo, mas para todos nós (Romanos 15.4; 2 Timóteo 3.16-17), todo pastor de uma igreja local deve treinar outros homens para serem mestres na igreja.

 

2. Pastores são mais aptos para treinar outros pastores.

 

Homens em treinamento para o ministério aprenderão melhor com aqueles que estão envolvidos na obra em tempo integral. Eles obterão sabedoria prática, sensibilidades pessoais e um entendimento minucioso da obra que não teriam de nenhuma outra maneira.

 

3. A igreja precisa.

 

Como pastor, você precisa assumir a liderança de levantar líderes, quer esses líderes venham a servir na sua própria igreja como presbíteros, quer eles vão a outro lugar. Se você não discipular líderes, quem o fará?

 

4. Isso evangeliza futuras gerações.

 

Um pastor pode fazer uma “obra missionária” para o futuro ao levantar líderes no presente. Quem liderará a sua igreja e evangelizará a sua comunidade quando você se for? Levante líderes agora e você conseguirá anunciar o evangelho não apenas na sua comunidade, mas no futuro.

 

Como pastores podem treinar líderes

 

Mas como um pastor super-ocupado, com uma escassa margem de recursos, pode discipular homens para serem líderes de igreja? Aqui está um punhado de sugestões práticas.

 

1. Compartilhe o seu púlpito (com cautela). Procure maneiras de dar a jovens homens de sua congregação, que sejam doutrinária e pastoralmente confiáveis, oportunidades para pregar e ensinar, ainda que eles não tenham a prática de falar em público.

 

2. Ensine a sua congregação a cuidar de outras igrejas e dos propósitos mais amplos do reino de Deus.

O objetivo é que a igreja como um todo abrace a meta de levantar pastores tanto para si mesma como para outras igrejas. Encoraje-os a ver que isso lhes trará mais benefícios no longo prazo. O seu encorajamento e liderança irão ajudá-los a serem mais generosos, a orar e a ser mais pacientes com homens mais jovens e inexperientes.

 

3. Ore publicamente por outras igrejas e pastores, pelo nome.

 

4. Ore publicamente pela propagação do evangelho em outras nações, pelo nome.

 

5. Procure outras maneiras de oferecer oportunidades de ensino e evangelização a homens mais jovens, como classes de escola dominical, oração pública ou a direção do culto. Treine-os no processo. Faça avaliações construtivas.

 

6. Mantenha uma “revisão de culto” semanal. Convide quem esteja publicamente envolvido no ministério da igreja a recapitular os eventos do dia. Peça avaliações construtivas de sua pregação ou direção de culto. Seja um modelo de como dar e receber encorajamento e críticas piedosas. (Dicas: enfatize o que for bíblico, teológico, pastoral, em vez do que for de sua preferência pessoal. Seja honesto, mas não lance um monte de críticas sobre os jovens e inexperientes de uma só vez. Procure evidências da graça e certifique-se de que os participantes saiam sentindo-se encorajados e edificados.)

 

7. Estabeleça um exemplo pessoal de evangelização, amizades com não-cristãos e discipulado de cristãos mais jovens. Olhe para aqueles que começam a imitar seu exemplo e invista especificamente neles.

 

8. Considere desenvolver um estágio pastoral.

 

9. Dê grandes quantidades de bons livros. Convide líderes em formação para uma conversa sobre o livro que você lhes deu, uma vez que eles o tenham lido.

 

10. Convide homens mais jovens para a sua sala de estudos, para que eles leiam e produzam à medida que você faz o mesmo.

 

11. Convide líderes em formação para que participem do seu processo de preparação do sermão. Discuta o texto com um ou dois outros homens à medida que você estuda. Após obter o ponto principal do texto, convide alguém para pensar em aplicações do sermão com você.

 

12. Pense em quaisquer janelas em sua vida e ministério que você possa abrir para líderes em formação: refeições em sua casa, tarefas cotidianas, visitas pastorais, compromissos em outras igrejas, conferências.

 

13. Discuta questões pastorais (que não sejam delicadas) com homens mais jovens e peça-lhes sua contribuição. Isso os treinará a pensar teológica e pastoralmente, e pode até mesmo dar a você uma nova percepção do problema.

 

Tradução: Vinícius Silva Pimentel

Revisão: Vinícius Musselman Pimentel

 

O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel