Arquivo da categoria: Igreja

Ministrando a um convertido e ex-abusador sexual

abuso-sexual-infantil-55-631

Texto de Brian Croft

Recebi muitas perguntas difíceis no workshop na noite de segunda-feira. Mas essa continua sendo especialmente difícil para mim. Aqui estava a natureza da pergunta de um pastor:

Como eu e nossa igreja ministramos a um homem que aparenta ser radicalmente convertido, deseja vir à nossa igreja, mas foi um pedófilo condenado e abusador sexual de longa data?

Aqui estão alguns pensamentos:

Devemos tentar ministrar a um homem como esse, especialmente se ele é convertido. Ninguém deve ser afastado das nossas portas, desde que Jesus foi visto com o mais vil dos pecadores. O evangelho é todo sobre isso! No entanto, você não pode ignorar o “elefante na sala”. Aqui estão algumas sugestões, tendo lidado com isso de maneiras comparáveis ??antes:

1) Nomeie um “anfitrião” para ele enquanto estiver na igreja. Escolha um homem muito confiável cuja única tarefa naquele dia seja encontrá-lo no estacionamento, caminhar com ele e ficar junto a esse homem. Escolha um anfitrião que seja espiritualmente maduro, gracioso, que entenda a importância da sua função, mas que não o fará se sentir como um preso na igreja.

Explique ao ofensor em questão que esse é o papel do homem e que deve ser visto com ele o tempo todo. Escolha um anfitrião que o levará a conversar com os outros e essa será uma boa maneira para esse visitante conhecer e conversar com pessoas que, de outro modo, ele poderia não se sentir confortável e vice-versa.

2) Informe de alguma forma e com antecedência à igreja sobre o que está acontecendo (e-mail, reunião de membros, etc.), para que eles saibam que você está tomando precauções estritas para proteger a segurança das pessoas, e especialmente das crianças. Isso permite que a igreja como um todo “mantenha a vigilância” de uma forma amorosa.

3) Informe semanalmente sobre a situação todos aqueles que trabalham com as crianças e informe quem é o “anfitrião” do homem para a semana atual. Dê-lhes a liberdade de fazerem perguntas, já que sentem ter a responsabilidade de proteger seus próprios filhos, bem como as crianças em sua classe nessa semana.

4) Uma falha e você o retira. Não há período de graça para esse homem. Se ele for encontrado sozinho sem seu “anfitrião” uma vez… é o suficiente. Ele precisa ser colocado em uma posição de ser amado pelo povo, mas ele deve estar ciente da sua responsabilidade como um pastor diante de Deus de proteger as ovelhas, em primeiro lugar.

5) Lembre ao seu povo que esse é o objetivo do evangelho. Jesus morreu pelos mais miseráveis ??dos pecadores e nós merecíamos o mesmo castigo por nossos pecados da parte de nosso Deus justo e santo que esse homem merece por sua rebelião contra Deus e crimes contra os outros. Se ele realmente é convertido, você deseja que o seu povo se alegre na esperança do evangelho mais do tenha medo por seus filhos, quando eles virem esse homem chegando. Pastorear através do ensino e exemplo é como Deus, pelo seu Espírito, formará essa cultura em sua igreja local ao longo do tempo.

Eu louvo a Deus pela oportunidade que você tem de lembrar o seu povo do evangelho e de quão suficiente, poderosa e gloriosa a misericórdia de Deus é em Cristo! Mas seja sábio também, querido irmão. Saiba com certeza que o inimigo está rondando como um leão em seu meio, desejando usar essa situação para dividir a sua igreja… ou pior. Eu peço ao Senhor que lhe dê grande sabedoria, discernimento e graça ao tentar cuidar desse homem e do seu povo através da chegada dele.

 

Tradução: Camila Rebeca Teixeira

Revisão: André Aloísio Oliveira da Silva

Original: How does a church minister to a coverted, sex offender?

O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

 

NÓS PODEMOS RESOLVER OS DOIS PROBLEMAS MAIS GRANDES QUE OS HOMENS ENFRENTAM COM UMA ÚNICA SOLUÇÃO

340361

Problema # 1

Muitos homens estão em apuros. Eles trocaram a verdade de Deus por uma mentira e a glória de Deus por um ídolo.

O resultado? Eles estão cansados, desiludidos e confusos. Seus casamentos estão pendurados por um fio. E seus filhos não entendem por que seu pai está sempre com tanta raiva.

Eles não se sentem como alguém entende o que eles estão passando – ou cuidados. O estresse  é esmagador.

É uma situação tóxica.

Alguns desses homens sabem por que eles estão fora da pista, mas a maioria não. Se eles pudessem ter resolvido seus problemas por conta própria, isso já teria acontecido até agora.

Você conhece homens como este em sua igreja, local de trabalho e bairro?

Esses homens precisam de ajuda.

Esses homens necessitam desesperadamente de alguém para os discipular no evangelho de Jesus.

Enquanto isso, temos outro problema igualmente grande, mas oposto.

Problema # 2

Muitos homens cristãos querem desesperadamente que suas vidas façam a diferença. Eles amam a Deus e querem levar uma vida totalmente rendida ao Senhorio de Jesus. Abrilhados pela graça, eles se sentem compelidos a servir a Deus como uma expressão de sua gratidão. Eles querem viver pela vontade de Deus.

Mas eles se sentem bloqueados. Eles não sabem como ajudar, ou o que eles têm para oferecer.

Como Deus providencia para resolver esses problemas?

A solução

A solução que transformará o primeiro grupo de homens é mobilizar o segundo grupo de homens para que se tornem não só discípulos, mas “discípulos que fazem discípulos”.

Resolver o segundo problema resolverá o primeiro problema também.

Porque, no entanto, o primeiro grupo de homens entrou em suas situações atuais, a única solução é discipulá-los.

Por quê? Porque fazer discípulos é o único plano de Deus para liberar o poder de seu evangelho sobre os problemas que esses homens enfrentam.

Não há vocação maior nem alegria maior do que para um homem discipular outro homem.

Mas a maioria dos homens cristãos não tem a confiança necessária para discipular outros homens – não importa quão desesperadamente eles querem fazer a diferença.

Isso é porque eles precisam ser treinados. Eles precisam de um plano. E eles precisam de ferramentas e recursos para discipular outros homens.

 

É aí que o nosso blog Homens ao Máximo pode ajudar. Bem como vocês podem encontrar ajuda e treinamento nos sites abaixo:

www.patrickmorley.com/blog/

www.disciplemen.org.

Traduzido e Publicado com autorização.

Link para o artigo em Inglês, Aqui!

Você deve entrar no ministério?  

1Billy Graham

Recentemente, um homem que acabou de ser promovido à alta administração de uma das 10 maiores empresas do mundo, disse-me: “Estou realmente me perguntando se eu deveria deixar os negócios e entrar no ministério. Não me sinto como se eu pudesse fazer um impacto tão grande no negócio como eu poderia no ministério. ”

Eu realmente o admiro por querer servir a Deus com tudo o que há nele.

Mas eu compartilhei algumas coisas com ele que eu também gostaria de compartilhar com você.

Primeiro, eu disse a ele, “Eu sou o cara que fez isso. Aos 42 anos de idade eu deixei o mundo dos negócios e comecei Man in the Mirror (Homem no Espelho, Ministério para Homens Cristãos nos EUA).

Honestamente, naquela época, eu pensei que me sentiria mais santo, enquanto eu nunca pensei que alguém mais pudesse sentir ou ser, eu pensei que me olharia no espelho uma manhã e veria o leve traço de um algo sobrenatural sobre mim. Ainda estou esperando.

O que eu não esperava me surpreendeu, pensei que quando a minha vocação mudou, meus amigos me seguiriam e me apoiariam … Alguns fizeram, mas a maioria deles teve seus próprios chamados – que não me incluíam. Como você pode suspeitar, eu realmente tive que trabalhar com isso.

Outro fenômeno que eu esperava, mas que eu nunca poderia preparar-me adequadamente para isso, foi a diminuição de prestígio aos olhos do mundo.Você vê, eu era o cara que você tentou obter uma apoio, pois queria concorrer para Governador. Mas quando deixei o mundo dos negócios para o ministério, não consegui que o coletor/catador (profissional que nos EUA, apreender cachorros soltos e sem dono, que estejam nas ruas)  me devolvesse as chamadas, e não estou exagerando!

Então eu disse a este homem, e eu vou dizer a você também: “Ninguém mais pode dizer-lhe qual é a vontade de Deus para a sua vida em qualquer assunto, a menos que seja especificamente mandado ou proibido pelas Escrituras.”

“Eu sugiro que você considere e ore sobre se este é ou não seu ministério – pelo menos por agora.”

Eu continuo: “Nossos empregos não são apenas uma plataforma para o ministério – eles são o ministério, consertar computadores, entregar pacotes ou administrar uma das maiores empresas do mundo é tão espiritual quanto ensinar em uma escola cristã ou servir em uma igreja ou ministério. Não há tal coisa como um trabalho “secular” – pelo menos aos olhos de Deus, toda vocação é santa ao Senhor “.

Então você deve ir para o ministério? Você já é um ministro (de Deus, onde atua e está). A questão é se você deve ou não entrar no ministério “vocacional”.

Talvez, mas aqui está um pensamento final. Quando eu estava no negócio, cerca de um dia por semana eu estava pronto para abandonar tudo. Mas agora que estou no ministério, não me sinto mais assim … agora são dois dias por semana.

Traduzido e publicado com a devida permissão do autor.

Link para o artigo em Inglês, AQUI!

NÓS SOMOS O PLANO

Por-que-Arquitetos-tem-que-estudar-muito-maisde-Arquitetura

Todo mundo tem problemas – dinheiro, significado, casamento, filho, trabalho, saúde, vícios e ídolos, e assim por diante. As pessoas estão se perguntando:

Deus sabe o que estou passando?

Ele se importa?

Ele tem o poder de fazer alguma coisa sobre isso?

Como Deus providencia para resolver esses problemas? Fazer discípulos é a maneira designada por Deus de liberar o poder de seu evangelho em cada problema que enfrentamos.

Então o que deveríamos fazer?

Em qualquer ponto você e eu estamos “se tornando” ou “fazendo” discípulos. Há estações para ambos, e eles muitas vezes se sobrepõem.

Às vezes, estamos espiritualmente desidratados e precisamos preencher nosso relacionamento com Jesus. É por isso que precisamos estar ativamente envolvidos em uma igreja, lendo e meditando na Palavra de Deus para nós mesmos, e estando em comunhão juntos com alguns outros em um pequeno grupo. É assim que “nos tornamos” discípulos.

Mas quando estamos cheios do transbordamento em nosso relacionamento de Jesus, então é hora de se reproduzir. É hora de “fazer” discípulos.

Não temos que ser estudiosos ou pastores ou pregadores para “fazer”.

Considere o meu amigo Victor, um cidadão americano nascido em Honduras, que tem um fardo para a América Central. Eu escrevi em Como Deus Faz Homens como ele foi em uma viagem de missões para sua terra natal. Sua equipe viajou para várias aldeias de montanha, a maioria dos quais não tinha eletricidade. Eles tiveram que usar um gerador para utilizar seus laptops e projetor.

 

Em uma aldeia hondurenha, trinta e quatro homens se reuniram para um seminário masculino. O pastor ficou espantado porque ninguém podia se lembrar que muitos homens se uniram por uma razão espiritual na história daquela aldeia. Nessa região, uma igreja normalmente tem apenas dois ou três homens e o resto são mulheres.

Nessas aldeias remotas, os homens não respeitam as mulheres. Os pais rotineiramente abusam de seus filhos, tanto física como verbalmente. Contra esse pano de fundo, Victor falou a esses homens sobre o que significa ser um homem piedoso, marido e pai.

E então algo bonito aconteceu. No dia seguinte, as esposas vieram ao pastor e disseram: “Eu não posso deixar de dizer que uma mudança aconteceu em apenas vinte e quatro horas.”

Três meses depois, uma visita àquela aldeia descobriu que o número de homens que atendiam aos seus sete pequenos burros tinha dobrado, e 150 homens estavam servindo a Deus e fazendo ministério. Muitos desses homens têm que caminhar três horas em trilhas de montanha perigosas para chegar ao local de encontro.

E tudo começou com um fardo. Deus chamou Victor para entrar em um vácuo de conhecimento sobre Deus e discipular cada um desses homens hondurenhos como ser um homem piedoso, marido e pai.

Vocês podem imaginar quão felizes serão aquelas esposas e filhos nas próximas décadas, porque este homem foi fiel não apenas “tornar-se” discípulo, mas “fazer” discípulos?

A maior missão a que podemos aspirar é ser discípulo discípulo. Nós somos o plano.

Patrick Morley

Artigo traduzido e publicado com a devida permissão do autor.

Link do artigo em Inglês, abaixo

http://patrickmorley.com/blog/fbe02ba0-6e35-432e-bdc8-d66c9662ac06

Por que um pequeno grupo para Homens?

rezandohomensigreja

Texto-Bíblico: Mateus 4:18-22

 

Pode-se perguntar por que um pequeno grupo para homens é diferente de um pequeno grupo para mulheres ou, na verdade, de qualquer outro pequeno grupo. Afinal, no fundo, qualquer ministério ou atividade dentro de nossas igrejas, quando feito em serviço ao Senhor, é o mesmo independentemente do gênero (homem e  mulher), idade ou etnia do indivíduo que serve.

Um pequeno grupo de homens é a busca ativa por parte de homens para se relacionarem com Deus, com a Sua Palavra e com outros homens com o propósito de ganhar, ajudar e treinar uns aos outros para Cristo.

Uma coisa é certa – Deus vai usar o coração e a vida de qualquer um que escolha estar disponível para Ele. A Bíblia diz: “Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” Esta é a Grande Comissão dada pelo próprio Jesus Cristo. Por outras palavras, Jesus Cristo está comissionando os Seus seguidores a irem pelo mundo inteiro para gerar crentes. Esta é uma grande missão.

Isto levanta uma questão. Como é que geramos crentes? Um ministério (ou pequenos grupos) de homens pode capacitar um homem a compreender melhor o seu chamado e como alcançá-lo? Um pequeno grupo de homens pode desafiar um homem a crescer intelectual, emocional e espiritualmente? Pode ensinar um homem a manter-se sexualmente puro? A resposta a estas questões é um sonoro SIM!

 

Por que começar um pequeno grupo? E por somente para homens?

Pelos mesmos motivos anteriormente e, especialmente por ser uma estratégia adotada desde os tempos da Igreja Primitiva até hoje, seja com o nome de pequeno grupo, célula, culto no lar, igreja no lar, grupo pequeno, etc. E também pelo os motivos que citaremos abaixo.

E um pequeno grupo para homens, visa conduzir a Cristo, bem como treinar, discipular, orientar e ajudar cada homem a se tornar conforme a Imagem e Semelhança de Jesus Cristo. Atendendo necessidades e anseios específicos dos homens e, que em um grupo misto com homens e mulheres ou  adultos e jovens não seriam atendidas devidamente.

 

– Evangelismo e visitas. Conquistar uma criança, mulher ou jovem para Cristo é totalmente diferente de se alcançar homens para Cristo, pois segundo pesquisas americanas: alcançar homens para Cristo é alcançar famílias inteiras para Cristo.

– Discipulado Cristão. Aqui temos a oportunidade de discipular os homens de nossas igrejas de uma maneira poderosa e próxima a cada um deles.

– Mentoria. Podemos ensinar, orientar, treinar e preparar os homens de uma maneira melhor e personalizada para os mais diversos assuntos da vida, como por exemplo: vida profissional, casamentos, estudos, saúde, família, igreja, liderança, etc. A relação de mentoria (ou ombro a ombro) se torna não somente possível, mas muito mais direta e fácil.

– Prestação de Contas. Em um pequeno grupo para homens, eles podem desabafar sobre os mais diversos assuntos de suas vidas, confessar seus pecados e tentações e compartilhar testemunhos e avanços.

– Aprofundar relacionamentos dentro da Igreja. Através dos pequenos grupos, podemos começar novas amizades, bem como aprofundar as amizades já existentes. Pois no contexto de pequenos grupos, nos tornamos mais próximos uns dos outros, como em uma família.

Além das necessidades e assuntos especifico da vida do homem: profissões, sexualidade, tentações, medos e preocupações, relacionamento conjugal, criação de filhos, vida de solteiro, etc. Bem como encorajamento e edificação mútuas entre os homens.

 

Como começar?

Comece falando com o seu pastor e liderança da igreja onde você congrega. E em seguida convide os homens de sua igreja a se envolverem e fazerem parte de um pequeno grupo para homens.

Quando isso tiver sido determinado, necessitará criar líderes que captem a visão e o ajudem a orientar um potencial exército de homens para uma relação mais profunda com o Senhor.

O apoio e auxílio de seus líderes eclesiásticos fará toda a diferença nesse trabalho.

 

Dicas e considerações

Gostaria de fornecer algumas dicas e considerações baseados na minha experiência e vivência em igrejas que trabalham com pequenos grupos e ministérios com homens. Afinal de contas, não podemos começar e realizar esse trabalho de qualquer jeito.

 

– Realize os encontros, uma vez na semana. Em um horário e local que a maioria possa participar.

– Duração: de 30 min até 1h30 no máximo. Não prolongue demais os encontros do pequeno grupo, pois além de dispensar a atenção dos presentes, tem a hora de cada um chegar em casa, no dia seguinte descansar ou ir trabalhar, a saúde de algum integrante, etc.

– Realize sempre que possível um momento de lazer. Pode ser somente com os membros do pequeno grupo de homens, ou também com seus familiares, ou outros amigos. Como por exemplo: Um passeio, jogar bola, caminhar e correr, um churrasco, um cinema em casa, ou ir ao cinema, etc.

– Dediquem tempo para orar e interceder uns pelos os outros. Isso é muito importante, seja nos encontros semanais dos pequenos grupos, seja na vida particular de cada um de vocês.

– Preservem a privacidade uns dos outros (Provérbios 11:13). O que for compartilhado no grupo, fica somente no grupo. Não compartilhe o que você ouve no pequeno grupo de homens com sua mulher, parentes, homens que não fazem parte do pequeno grupo, membros da igreja, etc. Pois como os homens confiarão uns nos outros para se abrir? Confessar seus pecados e tentações? Desabafar dificuldades?

– Multipliquem os grupos e dividam os grupos muito grandes. A idéia são pequenos grupos de até 10, 12 ou 15 homens. Pois é uma quantidade fácil para se administrar e liderar.

 

 

A iniciativa de começar pequenos grupos para homens em sua igreja local fará toda a diferença na igreja como um todo, pois estaremos trabalhando e cuidando de famílias inteiras, bem como igrejas, empresas, comunidades e cidades. Pelo o simples fato de discipular homens para Cristo.

Ao cuidarmos de um homem, estaremos cuidando também de sua família, igreja, empresa, comunidade, cidade e nação.

 

 

Em Cristo Jesus,

Filipe Paulo Christian

 

Quer saber sobre Missões? Leia!

 

campanhamissionaria

Texto-Bíblico: 2 Timóteo 4:13

Quer saber sobre qualquer assunto? Então, recorra aos livros. Neles, podemos ver os registros da história do mundo e, mais especialmente da história da fé cristã e sua propagação no mundo.

Gosto muito dos livros e, com certeza quero lhes incentivar bastante a desenvolverem esse hábito que podemos ver na Bíblia, na vida dos homens de Deus daqueles tempos. Quanto também em vários outros homens na história do cristianismo, como Agostinho, Martinho Lutero, Calvino, Jacó Armínio, Charles H. Spurgeon, Jonh Wesley e, tantos outros.

Um pastor brasileiro que gosto muito dele é o pastor Hernandes Dias Lopes. Ele além de ser um leitor voraz, escritor prolifico e um excelente pregador e expositor da Palavra de Deus. Existe também O livro O Cristão e a Leitura, da editora CPAD. Posso ver através desse livro e da história de vida de cada um desses servos de Deus, que a prática da leitura é fundamental par ao crescimento de qualquer líder cristão.

Nessa nova lista de livros, aqui do Blog, gostaria de recomendar livros que tratam sobre a questão missionária e evangelística. Existem autores que tratam mais especificamente sobre essa temática, como Oswald Smith, Billy Graham, Ronado Lidório, etc. Mais vou dar uma lista mais ampla e diversificada que serve tanto para pastores e líderes cristãos em geral, como também serve para quem deseja ou está se preparando para o campo missionário.

Eis a Lista de Livros:

 

Konkombas – Ronaldo Lidório

África- A alegria vem pela manhã – Ronaldo Lidório

O fator melquisedeque – Don Richardson

Alegrem-se os povos – Jonh Piper

O diário de Jonh Wesley- O pai do metodismo.

A vida de David Brainerd – Jonathan Edwards

Celebração da disciplina – Richard Foster

Discipulado – Dietrich Bonhoeffer

Guerra Contra os Santos – Jessie Penn-Lewis

Heróis da Fé – Orlando Boyer

Mananciais no Deserto – Lettie Cowman

Mero Cristianismo – C S Lewis

Meu coração nas mãos de Deus – Ann Judson

O Contrabandista de Deus – irmão André

O Melhor de A W Tozer – A W Tozer

O Peregrino – John Bunyan

O apóstolo dos pés sangrentos – A vida de Sadu Sandar Singh

O clamor do mundo – Osvald Smith

O livro do travesseiro – A história de Adoniram Judson

O livro dos mártires – John Fox

O refúgio Secreto – Corrie Tem Boom

Os atributos de Deus – A W Pink

Pelo meu Espírito – Jonathan Goforth

Plena submissâo – J Edwin Orr

Porque tarda o avivamento – Leonard Havenhil

Tesouros da oração – E M Bonds

Tratado sobre afeições religiosas – Jonathan Edwards

A cruz e o punhal – David Wilkerson

Missões: Até os confins da Terra – Ruth A. Tucker

 

Existem vários outros livros com certeza, mais alguns nessa lista levarão algumas semanas ou pelo menos dois meses para serem lidos. Mais enfim, fica a dica e vale a pena ler cada obra. E também poder conhecer a vida e trabalho de muitos desses homens de Deus que atuam para o Reino de Deus em nossa atual geração.

 

Quem levará o Evangelho as próximas gerações?

O que tem feito os homens de Deus da geração atual?

Como nós, seremos lembrados no futuro e como vamos nos apresentar diante do Nosso Deus?

 

 

Em Cristo Jesus,

Filipe Paulo Christian

Você quer ser um missionário? Então…

Sky over Wheat Plants

Texto-Bíblico: Jeremias 48:10

Existe algo que ocorre no coração de qualquer pessoa que ama ao Senhor e deseja servi-lo na seara (Mateus 9:37), seja aqui no brasil ou em outras nações – o sentimento de urgência. Infelizmente, muitos com esse sentimento no coração acabam extrapolando muitas ou todas as etapas que são fundamentais no preparo e envio de missionários ou obreiros para o campo missionário.

Você Homem, que deseja servir ao Senhor no campo missionário. Precisa e tem que considerar e cumprir algumas etapas fundamentais e necessárias antes mesmo de ir ao campo, pregar o evangelho e ver vidas sendo salvas (ou não) através de seu trabalho ao Senhor.

Mas que etapas fundamentais são essas?

Essas etapas são fundamentais, pois possibilitarão ao obreiro servir melhor e mais ainda ao Senhor e ao povo ou comunidade onde ele for enviado. E elas são as seguintes:

– Estar congregando e ativo em uma Igreja Local (Atos 13:1-3). Que o reconhece-lo, enviar e o apoiar no campo missionário. E não adianta, querer ir servir em missões nacionais ou transculturais, se seu bairro ou cidade você nem sequer evangeliza e muito menos se envolve no trabalho e atividades da igreja local.

– Uma profissão! Veja o exemplo do próprio apóstolo Paulo (Atos 18:1-4, 11; 20:32-35) e tantos outros missionários. Antes mesmo de pensar em ir ao campo, aprenda logo uma profissão para se autosustentar, poder servir a comunidade ou país onde você irá anunciar as boas novas de Jesus Cristo e ser uma bênção.

– Qualificar-se e estudar. Desde adquirir uma profissão até ir para o seminário teológico, além de aprender outros idiomas é claro. Tudo isso além de muito bem vindo a bagagem de todo e qualquer missionário é fundamental a sua formação e preparo para a Seara do Senhor. E como você vai pregar e ensinar as Boas Novas de Jesus, se não as conhece bem e nem muito menos a Palavra de Deus nos seus mais diversos detalhes e minúcias.

– Estudar a cultura, história e tudo o mais sobre o campo missionário. Seja uma comunidade ou cidade, seja outro país. Se prepare, aprenda mais sobre o povo e esteja por dentro do que você irá enfrentar e lidar no campo. Isso lhe ajudará bastante na fase inicial de adaptação e contextualização.

– Desenvolva ou participe de um projeto evangelístico e social. No campo missionário, em sua grande maioria ou quase totalidade a ação evangelística sempre vêm depois ou junto com a ação no âmbito social da comunidade ou local onde você vai atuar. Então aprenda a lidar com as necessidades físicas e espirituais das pessoas aqui no Brasil, para poder começar bem em outro lugar.

– Aprenda a lidar e se relacionar com diferentes tipos e grupos de pessoas. Missões se desenvolve e se realiza através de relacionamento diário e constante com o Senhor, mas também com as pessoas que te cercam. Sejam familiares, amigos, colegas de trabalho, irmãos da igreja, vizinhos, desconhecidos, moradores de rua, presidiários, comerciantes, etc.

– Leia e estude a vida de outros missionários. Aprenda com seus erros e acertos, ouça-os e reflita bem e melhor sobre o seu chamado missionário. Existem vários livros e filmes, sobre a vida e obra de missionários de vários locais, épocas e culturas.

– Tenha irmãos e amigos em Cristo que lhe ajudem como intercessores, mantenedores e conselheiros. Você irá precisar desse suporte e apoio a curto, médio e longo prazo em sua vida, seja no campo missionário, sejam nos momentos de “férias, descanso ou cuidados médicos” ou mesmo “aposentadoria”. Estabeleça relacionamentos de apoio e suporte a sua vida e ministério, pois você irá enfrentar e lidar com várias dificuldades e tribulações.

 

 

Por que considerar essas etapas e respeitá-las?

Porque não podemos servir ao Senhor de qualquer forma. O Senhor nos chama, mas também nos capacita, assim como ele fez com Noé, Moisés, Davi, Samuel, Eliseu, Paulo, Timóteo, os Apóstolos, etc.

O tempo de preparo é fundamental! O campo missionário tem um ou vários idiomas, tem necessidades físicas e sociais, tem vários grupos sociais, etc. Tudo isso e muito mais você terá que lidar e se relacionar. E para alguns ou para muitos, algumas questões como infanticídio, terrorismo, idolatria e outras questões podem ser muito traumatizantes a primeira vista ou difíceis de lidar, então prepare-se melhor e respeite as etapas. Pois até mesmo ao ser enviado para o campo missionário, você ainda passará por outras, como se adaptar a nova cultura, a distância da família, amigos e igreja de origem, questões socio-culturais, etc.

 

Para servir como missionários, você não pode ir de qualquer jeito ou forma. Você precisa se preparar, pois muitos vão sem preparo nenhum e se dão muito mal, outros retornam em poucos meses ou diante das primeiras dificuldades ou não se prepararam devidamente para o local onde iriam atuar.

Experimente conversar com seu pastor e com missionários experientes, ouça o que eles tem a dizer, ore por eles e com eles (e também por você mesmo) e aprenda com eles tudo e quanto você puder. E também participe de uma viagem missionária de curto prazo a nível local, regional, nacional ou internacional.

Desejo desde já sucesso e bênçãos sobre a sua vida. Sabendo que o mesmo Senhor que chama, continua sendo o mesmo que capacita, supre suas necessidades e envia, além de cuidar durante sua jornada ministerial.

 

“Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados?”                                                                  Romanos 10:14-1a

 

Em Cristo Jesus,

Filipe Paulo Christian