Arquivo da tag: Casamento

Como me cuidar para não idolatrar minha esposa? |

Frases e Citações - Martha Medeiros CXXI

# CoalitionResponde

Esta questão mostra uma preocupação real, e não apenas durante o namoro.
Recentemente, li uma biografia de John Newton, na qual ele menciona que escreveu em seus diários sobre seu medo de idolatrar sua amada esposa. Se um homem como Newton, que estava tão sobrecarregado com a graça e a doçura do amor de Deus, sentiu que, em sua fraqueza, poderia inclinar-se a idolatrar uma pessoa importante para ele, e quanto a nós?

“Portanto, quem crê que ele está, tome cuidado para que ele não caia” (1 Coríntios 10:12).
Se entendemos o que a Bíblia diz sobre nós e vemos a facilidade de nos fazer pecar, não achamos estranho que Calvino escreveu uma vez que o coração do homem é “uma fábrica contínua de ídolos”.
Então, o que podemos fazer para cuidar de uma pessoa importante para nós, e mais especificamente, nosso parceiro?
Entendendo a Idolatria
Em Romanos 1:25, vemos que nossa idolatria (pecado) é que todos os seres humanos “mudaram a verdade de Deus ao mentir, adoraram e serviram a criatura em vez do Criador, que é abençoado para sempre”.
Em outras palavras, a idolatria está dando a algo ou alguém a adoração e honra que só Deus merece. Quando fazemos isso? Quando buscamos a nossa mais profunda satisfação no criado, abandonando o Criador que pode realmente nos satisfazer e para quem fomos feitos. Essa é a idéia que Jeremias 2: 11,13 transmite, quando Deus confronta Israel por sua idolatria:

“Alguma nação já trocou os seus deuses? E eles nem sequer são deuses! Mas o meu povo trocou a sua Glória por deuses inúteis.
Espantem-se diante disso, ó céus! Fiquem horrorizados e abismados”, diz o Senhor.
Nós fazemos um deus daquilo em que buscamos nossa maior alegria; no entanto, nada neste mundo além do Deus verdadeiro pode nos satisfazer.
Buscando a nossa maior satisfação no nosso parceiro pode procurar várias maneiras. Por exemplo, às vezes é expressado na idéia de que a coisa mais importante do mundo é o que o nosso parceiro pensa sobre nós, mesmo acima de Deus. Também pode ser evidenciado na idéia de que, sem essa pessoa, nunca podemos viver vidas completas. A idolatria tem muitas facetas, e nenhuma delas irá satisfazer nossos corações.
Procure ser cheio de Deus mais ainda
Quando entendemos no que a idolatria consiste – buscando satisfação em algo diferente de Deus – começamos a ver o remédio: busque nosso maior deleite no Senhor.
Desta forma, para impedir o seu coração de idolatrar o seu parceiro (e qualquer outra pessoa ou coisa), você deve procurar conhecer mais a Deus através da Sua Palavra, encontrando assim a sua máxima alegria nele.

Ore a Deus por essa alegria nele. Tenha os seus olhos centrados no Cristo que satisfaz todos e nos salvou para mostrar as riquezas da Sua graça (Efésios 2: 6). Isso é algo que todo cristão é chamado a fazer. Precisamos conhecer mais a Deus e ficar satisfeitos nele.

Na verdade, um conselho muito prático que você pode fazer com o seu parceiro relaciona-se com isso: tome tempo juntos para conhecer o Senhor. Leiam alguns bons livros cristãos quando você está compartilhando; passem tempo ouvindo bons sermões; Aproveitem o tempo para conhecer melhor o Senhor. Se você está olhando para o céu, seus corações encontrarão satisfação no mais importante.

Uma vez que nada em nossas vidas foi criado para ser adorado, nenhum ídolo ou pessoa pode suportar todo o peso de suas expectativas. Fugir da idolatria não só irá beneficiar você, mas também libertará o seu parceiro de uma pressão muito grande para ela. A Bíblia nos mostra que nosso Senhor nos amou tanto que enviou Seu Filho como a propiciação pelos nossos pecados, para que possamos ter a vida eterna e começar a viver para a Sua glória aqui e agora (Romanos 3: 24-26; : 16; 1 Coríntios 10:31). Para que você possa confiar que há perdão para idólatras arrependidos e força para viver longe do pecado. Aquele que começou a trabalhar em nós terminará (Filipenses 1: 6).
E quando nossa maior satisfação é Deus, podemos amar as pessoas sem pretender usá-las para nosso benefício pessoal e sem idolatrar de nenhuma maneira. Nossos relacionamentos serão mais saudáveis ​​porque Cristo é suficiente para nós. Andando no Espírito, com os nossos olhos em Cristo, teremos o fruto do seu Espírito que é “amor, alegria, paz, paciência, bondade, bondade, fidelidade, mansidão, autocontrole” (Gálatas 5:22). Assim, podemos desfrutar nossos relacionamentos melhor, não como ídolos, mas como presentes de Deus e espaços nos quais podemos compartilhar o que Deus faz por nós e em nós, enquanto desfrutamos do que Ele faz nos outros.

Cristo comprou para seu povo promessas maravilhosas e preciosas, que tornam as promessas da idolatria tão vazias como realmente são. É por estas promessas que podemos viver exaltando Deus acima de tudo, no meio de todas as etapas de nossas vidas (2 Coríntios 1:20; 2, Pet. 1: 3-4).

 

# CoaliciónResponde é uma série onde pastores e líderes da igreja respondem às preocupações que chegam à Coalizão pelo Evangelho através de vários meios e que fazem parte das preocupações que caracterizam a igreja em nossa região.

Autor

Joshua serve como assistente editorial na Coalition for the Gospel. Ele mora com sua esposa Arianny em Mérida, Venezuela, e é parte da Palabra Viva Baptist Church servindo no ensino e na pregação. Você pode ler isso enjosuebarrios.com e segui-lo no Twitter: @josbarrios.

Link para o artigo original em espanhol

https://www.thegospelcoalition.org/coalicion/article/como-me-cuido-de-idolatrar-a-mi-pareja-coalicionresponde

Anúncios

10 maneiras de cuidar do seu casamento enquanto você tem crianças pequenas

23240lpr_994aaa0a14f964b

Minha esposa Esther e eu moramos na pequena casa pastoral ao lado da nossa igreja. Também Isaiah e Naomi, nossos filhos.

Com nomes bíblicos como esses, você pode pensar que Isaías e Naomi seriam os companheiros de quarto ideais. Mas nós percebemos que Isaiah (que apenas virou três) pode ser muito temperamental, e que Naomi (apenas um ano de idade) possui um poderoso conjunto de cordas vocais.

Adoro ser pai, e temos ótimas crianças. Eles me dão muita alegria. Mas nem sempre é fácil. Ter filhos mudam para o casamento de forma permanente. Você tenta conversar e você está constantemente interrompido; Você planeja tempo para se conectar e você está completamente exausto; Você tenta planejar uma noite de compromisso e então você percebe o quão caro é uma babá. Você consegue entender a ideia?!

Ultimamente, estive pensando em algo que minha mãe disse uma vez: ser pai, apesar de todo o estresse que você pode colocar em seu casamento, também permite que seu casamento cresça mais profundamente e seja mais enriquecido. É como lutar com alguém, voltar para casa e depois perceber os bons amigos que eles se tornaram porque estavam nas trincheiras juntas. Então, estou aprendendo a ver esta fase de desafio como uma oportunidade para o nosso casamento, não apenas uma fase para suportar.

Após minha caminhada com Cristo, nada deve ter uma prioridade maior na minha vida do que cultivar intimidade e amizade com minha esposa, ou mesmo ser pai. Na verdade, eu sei que não posso ser o pai que Deus me chama a ser, a menos que meu casamento seja forte. Estas são algumas das estratégias que pensamos sobre isso pode ser útil para outros jovens pais em uma fase de vida semelhante.

Dez Estratégias para o Crescimento

1. Intentar beijar / abraçar / elogiar seu cônjuge durante o dia

Deixe isso ser a primeira coisa que você faz quando chegar em casa todos os dias. Eu sou  atropelado pelos meus filhos na porta da frente, eles querem brincar. Eu quero prestar atenção neles, mas eu também quero que eles vejam que Esther é uma prioridade que nada pode mudar isso. Pequenos momentos diários para contato, afirmação e assistência, ajuda para com su esposa.

2. Gaste dinheiro para babás e férias o máximo que puder

É caro, mas é um bom investimento. Ao planejar uma noite a dois, muitas vezes penso: “Podemos pagar isso?” Mas quando fazemos, sempre penso: “Estou feliz por ter feito isso, precisamos disso”. É tão importante ter momentos de risada, recreação e brincar com sua esposa. O velho ditado é corajoso, mas é verdade: “Famílias que jogam juntos ficam juntas”.

3. Faça caminhadas

Isso fez a diferença para nós, porque nossos filhos estão realmente quietos em suas cadeiras de bebê. Nós exercemos e temos uma conversa prolongada, coisas que podem ser facilmente deslocadas quando a vida está agitada. Se a caminhada não funcionar, talvez vocês possam procurar outro hobby para fazer juntos.

4. Tenha momentos criativos

Nós desenvolvemos nossa própria “data” semanal em casa, que normalmente consiste em colocar as crianças para dormir mais cedo, então lemos um capítulo do livro da minha avó sobre casamento, conversamos sobre a vida e jogamos um jogo de tabuleiro. Ter uma “noite de se divertir em casa” economiza dinheiro e reduz a tirania da TV constante à noite.

5. Enviar mensagens de texto ao longo do dia

Eu não gosto da maneira como a tecnologia está sempre me distraindo do presente, mas se houver uma pessoa que eu quero estar em um diálogo de texto contínuo, é com minha esposa. É uma pequena coisa que ajuda ainda mais a nossa amizade, piadas e diversão. Isso mostra que eu estou pensando nela. É uma forma de comunicação que não pode ser interrompida por um bebê chorando.

6. Planeje o tempo para estarem juntos intimamente

Às vezes, os pais de crianças pequenas têm dificuldade em encontrar tempo para a intimidade. Não tenha medo de planejar isso em sua programação semanal. O sexo planejado é melhor do que não ter relações sexuais, e é uma maneira de mostrar seu compromisso nesta área do seu casamento durante um período ocupado.

7. Criem tempo e ocasião para ler a Bíblia e orar juntos

Não é poder fazer devoções juntos é uma oportunidade perdida. Sua esposa provavelmente o conhece melhor do que qualquer outra pessoa e, portanto, é a melhor pessoa para lhe afiar espiritualmente.

8. Interesse pela vida cotidiana de seu cônjuge

É mais fácil distanciar-se quando você está desconectado do que sua esposa está ocupando durante o dia. Se você trabalha, faça muitas perguntas sobre o que está acontecendo no escritório e seja o seu maior defensor. Se você ficar em casa, ajude-a com as tarefas domésticas para que você a conheça e aprecie tudo o que ela faz em dentro de casa.

9. Cultive a compaixão pela maior fraqueza de sua esposa

Ser pai pode trazer à superfície os medos mais profundos, os pecados e as falhas do seu cônjuge. É fácil desprezar essas coisas, especialmente na medida em que são diferentes das suas próprias lutas. Aqui estão algumas maneiras que podem lhe judar:

Lembre-se e lamenta seu próprio pecado.
Peça ao Senhor uma ternura e compaixão especiais.
Não provoque seu cônjuge com sarcasmo.
Fale com respeito aos seus amigos sobre sua esposa, em vez de se queixar.
Mostre muita paciência e gentileza ao discutir suas fraquezas (se for caso disso, discuta-as).

10. Perseguir o coração do seu cônjuge

O que você está interessado nestes dias? O que há no seu muro do Facebook? Quais são seus medos sobre os próximos 18 meses? Quais músicas você gosta atualmente? Estude-os. Cultive “piadas interiores” juntos. Mantenha segredos com ela, e não dela (que cria intimidade ao longo dos anos). Faça como seu objetivo ao longo da vida se apaixonar tanto quanto você fez quando namorava com ela, em todas as etapas do casamento.

Satanás e nossa cultura nos bombardeiam com a mentira de que os assuntos amorosos são mais excitantes do que a fidelidade. Um aspecto do nosso testemunho do evangelho é encarnar a verdade real de que o compromisso absoluto com a união é o caminho para a verdadeira alegria. O que é interessante em qualquer relacionamento romântico, seja qual for a intimidade que seu coração anseia, qualquer força que você tenha para oferecer a outra pessoa, o propósito do casamento é derramar tudo isso em uma pessoa para o resto de sua vida. Esta é a estratégia de Deus, e é a maneira mais satisfatória de viver. Vamos cultivar casamentos que apontem para a beleza e a realidade de Cristo em nossas vidas.

Originalmente publicado na The Gospel Coalition.

Autor

Gavin Ortlund é estudante de doutorado em teologia histórica no Fuller Theological Seminary e trabalha na equipe da Igreja Congregacional Sierra Madre em Sierra Madre, Califórnia, onde mora com sua esposa e filho. Gavin escreve regularmente no Soliloquium.

Sobre Filhas e Namoro: Como Intimidar Pretendentes

filme-menina-dos-olhos

Texto de Jen Wilkin

Tenho duas filhas adolescentes, então foi com um certo interesse que li um artigo recente intitulado “Formulário Para Namorar Minha Filha.” O artigo era muito engraçado, brincando com a idéia do estereótipo do pai com a espingarda e a filha apavorada enquanto negociavam o âmbito complicado de um primeiro encontro. Depois blogueiros cristãos se apoderaram deste conceito e, em sua maior parte, estas versões também eram engraçadas. Havia alguns temas comuns: pretendentes desempregados e de calças largas, pais proferindo ameaças inspiradas em Chuck Norris. Não perdi o meu senso de humor bem desenvolvido, até que cometi o erro tático de olhar alguns dos comentários. E então, simplesmente fiquei triste.

Aqui está o comentário que me deixou mais triste, postado por um pai cristão bem intencionado:

Cara, isto é incrível. Minha filha tem apenas 2 anos, mas vou imprimir isto e colocar na porta da minha geladeira. Obrigado por seu piedoso exemplo.

Oh céus.

OK, a piada acabou. Mano, vamos falar de estratégia por um momento. É só isto que você tem? Você precisa de um plano melhor, além destas técnicas de intimidação de baixa voltagem. Afinal de contas, ela é sua filha. Então, vamos falar francamente sobre o que você precisa fazer para proteger os interesses dela quando se trata de namoro. Em vez de brandir uma espingarda ou apresentar um formulário, é necessário construir um muro.

Isso mesmo, você me ouviu; construa um muro. Entre no modo “Rapunzel.” Construa-o tão alto que só o mais forte dos pretendentes poderá escalá-lo. Mas não espere até que sua menina seja uma adolescente, mano. Comece agora. Comece ontem. Não há tempo a perder.

Construa um Muro

Em Cantares 8.8-9 ouvimos a esperança de uma família de que sua irmãzinha se torne uma mulher com pujança e dignidade. Adivinhe qual metáfora eles usam para descrever este tipo de mulher? Um muro. Sua irmã os assegura no versículo 10 que ela realmente é um muro, completo, com torres. Sua declaração indica certeza de que ela não somente é forte, mas também capaz de se defender contra quaisquer pretendentes que não sejam dignos. É isto o que você quer, mano. Você quer um muro.

Eis o problema com as piadas sobre espingardas e formulários postadas na geladeira: para qualquer pessoa que esteja prestando atenção, estas coisas anunciam que você espera que sua filha nāo tenha discernimento. Saiba que sua filha está prestando atenção. E não fique chocado se ela se comportar conforme suas expectativas. Talvez seja melhor se preocupar menos com aterrorizar ou pré-ajustar pretendentes e se preocupar mais com preparar sua filha para escolher sabiamente. E isto significa construir um muro.

voce-e-um-pai-liberal-1418755960299_615x300

Ao invés de intimidar todos os potenciais pretendentes à sua filha, crie uma filha que os intimide por si própria. Porque, sabe o que é intimidador? A pujança e a dignidade. A fé profunda. A auto-confiança. A sabedoria. A bondade. A humildade. A diligência. São estes os tijolos que constroem o muro que resiste aos avanços do Calça-Larga, independentemente de você aparecer com sua espingarda carregada ou não. Um pretendente inapto considera nada mais aterrorizante, do que uma mulher que sabe o seu valor perante Deus e perante sua família.

Forte Demais?

Mas eis a dura realidade: se você criar esta filha, ela provavelmente intimidará também um bom número de “bons rapazes cristãos”. Porque vários destes rapazes tem umas idéias malucas sobre o que significa estar no comando. Fico espantado e triste com a freqüência com que ouço jovens rapazes solteiros dizerem de mulheres solteiras brilhantes e talentosas, “Nossa, ela é tão forte que eu não acho que poderia liderá-la.” O que nessa altura faz com que muitas mulheres solteiras brilhantes e talentosas comecem a considerar maneiras de “diminuirem sua intensidade” ou “se tornarem um pouco mais suaves”.

Crie uma filha forte, mesmo se; não, especialmente se, isto significa que possíveis pretendentes questionem se podem “liderá-la”, seja lá o que isto signifique para eles. Você acabou de identificar estes pretendentes como inelegíveis, sem mesmo precisar de um processo de candidatura. Liderança não se trata de uma pessoa forte procurando pessoas mais fracas para liderar. Trata-se de pessoas humildes procurando aqueles cujas áreas compensem suas fraquezas e complementem suas próprias áreas fortes. Líderes fortes se cercam de pessoas fortes, não de pessoas fracas. Ao invés de considerar os pontos fortes dos outros ameaçadores, eles os celebram e os fomentam. Este é um princípio básico de gestão, mas temo que jovens rapazes cristãos e pais cristãos bem intencionados que têm filhas, tenham ficado um pouco confusos com este conceito.

Guarde Sua Espingarda

Frequentemente penso que se avaliássemos cuidadosamente como criamos nossos filhos com a mesma intensidade com que planejamos enfrentar futuros pretendentes a nossas filhas, deixaríamos de especular sobre espingardas e formulários e começaríamos a construir aquele muro. Então, bem intencionado pai de uma criança de 2 anos, por favor, não clique em “imprimir” naquele formulário por enquanto. Ao invés de interrogar o homem que sua filha traz para casa, interrogue o homem que a trouxe para casa do hospital. Ela não necessita de jactância tardia sobre suas intenções de protegê-la dos Calça-Larga idiotas quando for uma adolescente. Ela necessita que você se empenhe e invista em seu caráter agora mesmo.

ternura_pai_filha_01

Então, guarde sua espingarda. Pegue a sua prancheta de treinador. Sente-se junto dela quando ela prepara um cházinho de brincadeira. Ensine-a como trocar um pneu e como ligar o cortador de grama. Delibere com ela sobre política e economia e teologia. Elogie uma roupa nova ou uma nota alta em matemática. Diga a ela que você a acha absolutamente linda. Ajoelhe-se a beira de sua caminha com chenille cor-de-rosa e ore intensamente. Crie sua filha com um coração e mente totalmente municiados, para que uma espingarda carregada não seja necessária. Ela não deve necessitar que você afugente pretendentes fracos. Deixe que sua própria força e dignidade façam isto. Decida não se contentar com nada menos do que a melhor proteção para sua filha. Decida ser o tipo de homem que você quer que ela traga para casa. Decida construir um muro.

“Que faremos por nossa irmã, no dia em que ela for pedida em casamento? Se ela for um muro, edificaremos sobre ela uma torrezinha de prata…” (Cantares 8.8–9).

Traduzido por Will Jessie Dias

Jen Wilkin é esposa, mãe de quatro filhos maravilhosos, e luta para que mulheres aprendam a amar a Deus com suas mentes através do estudo fiel da Palavra. Ela escreve, dá palestras e ensina a Bíblia para mulheres. Ela mora em Flower Mound, Texas, e sua família congrega na The Village Church. Jen é autora de “Women of the Word: How to Study the Bible with Both Our Hearts and Our Minds” (Mulheres da Palavra: Como Estudar a Bíblia com os Nossos Corações e Nossas Mentes) (Editora Crossway). Você pode encontrá-la em seu blog jenwilkin.blogspot.com.  *HGTV é um canal a cabo com programas de casa e família.

http://www.thegospelcoalition.org/pt/article/sobre-filhas-e-namoro-como-intimidar-pretendentes

Cara, Onde Está Sua Noiva?

 

hdbebpueipde

Quando prego em diferentes lugares, uma das perguntas geralmente feita por mulheres, jovens em particular, é mais ou menos esta: “O que acontece com os homens?”

Não são mulheres zangadas. Sua pergunta é mais triste do que petulante. Não tenho muita certeza por que elas fazem essa pergunta. Talvez porque acabaram de ler meu livro, Faça Alguma Coisa (Just Do Something), e imaginam que as entendo, ou talvez pensem que eu posso ajudar. Geralmente logo depois fazem outro comentário para me exortar: “Por favor, fale aos homens da nossa geração e diga-lhes que sejam homens.”

Elas estão se referindo ao casamento. Conheci dezenas de jovens mulheres, tementes a Deus, em diversos lugares, que perguntam: “Para onde foram os homens ‘casáveis’?” Muitos comentaristas — cristãos e outros — percebem uma tendência entre os homens jovens; isto é, que eles não estão amadurecendo. Recentemente o artigo de William Bennett na CNN “Por que os Homens Têm Problemas” (Why Men Are in Trouble) chamou muita atenção. O ponto alto está resumido na sentença final: “Chegou a hora dos homens serem homens.” Parecem até palavras bíblicas (1 Coríntios 16.13).

Virtualmente cada pessoa solteira que eu conheço quer se casar. E mesmo assim, leva cada vez mais tempo o adiamento do casamento. Os padrões culturais têm algo a ver com isso. A economia ruim também não ajuda. Mas existe mais alguma coisa que confunde. Visite qualquer igreja e você vai conhecer mulheres cristãs atraentes, inteligentes, maduras que querem se casar e praticamente nenhum homem para cortejá-las. Geralmente essas mulheres estão em cursos de pós-graduação e podem até estar iniciando uma carreira. Mas não são feministas. Estão ansiosas para abraçar o papel de esposa e mãe. A maioria das mulheres que conheci não despreza o papel de ajudadora. Parece que simplesmente não existem muitos candidatos por aí.

 

O que está acontecendo? Por que existem tantas jovens mulheres solteiras, com formação universitária, que levam a sério o cristianismo, comprometidas com a igreja, mulheres bem resolvidas que não encontraram um companheiro, e não vêem quaisquer possibilidades no horizonte?

Talvez as mulheres tenham padrões inatingíveis. É uma possibilidade em algumas circunstâncias. Tenho certeza de que há alguns rapazes lendo isto e dizendo: “Eu tenho cortejado essas jovens, Kevin! E elas me desprezaram.” Algumas mulheres talvez estejam esperando um Príncipe Encantado. Mas na minha experiência esse não é o grande problema. Padrões exagerados? Não geralmente. Alguns padrões? Com certeza!

Em outros casos, algumas mulheres talvez estejam tão ansiosas para se casar que tornam nervosos os candidatos que demonstram algum interesse. Existe uma linha tênue entre antecipação e desespero. Os homens não dispostos a discutir detalhes do casamento após o primeiro encontro… Eles entram em pânico — e ficam bem assustados.

Esse caminho de solteirice prolongada é um caminho de duas mãos. Mas penso que o problema reside principalmente nos homens. Ou pelo menos, sendo homem posso identificar os problemas dos homens mais depressa. Vejo duas situações.

Primeira, os homens cristãos que são “bons rapazes” precisam ter um pouco de — qual é a palavra que estou procurando — de ambição. Os pastores, em algum ponto, têm ralhado contra o vídeo games. Mas o problema não está realmente nisso, mas o que isso pode representar (mas nem sempre). É o quadro de um rapaz com 20 e poucos ou 30 e poucos anos que não parece querer nada da vida. Talvez tenha um emprego. Talvez more ainda com seus pais. Essas coisas estão fora de controle. Há uma diferença entre um indivíduo que está se esforçando para conseguir alguma coisa e outro que parece satisfeito em assistir filmes, comer pizzas congeladas em um minúsculo apartamento, assistir futebol 12 horas no sábado, aparecer na igreja durante uma hora no domingo e, então, voltar para casa a fim de assistir mais futebol.

Não acho que as mulheres jovens estejam esperando um “Príncipe Encantado”,  que já tenha duas casas, três carros e uma personalidade como a de Dale Carneggie. Simplesmente querem um homem com alguma substância. Um homem que tenha planos. Um homem com alguma profundidade intelectual. Um homem que tome iniciativas e saiba conversar. Um homem que tenha consistência. Um homem que leve a serio o seu trabalho e não brinque com a sua fé. Um homem com um pouco de vontade de ter sucesso na vida. Um homem que possam imaginar sustentando uma família, orando com os filhos na hora de dormir, cortando a grama no sábado, e disposto a levar a família à igreja aos domingos. Onde estão os garotos que querem se transformar em homens?

A segunda situação talvez seja simplesmente que não tenhamos bastante homens na igreja. Talvez o problema maior não seja com os simpáticos rapazes cristãos que não têm ambição, nem maturidade e compromisso. Talvez tenhamos muitos homens assim na igreja, mas estejam todos casados e não têm muitos irmãos andando por aí. Não sei qual é o problema maior, a falta de homens bons ou a falta de homens em geral. Talvez haja uma combinação das duas coisas. A igreja precisa educar os rapazes que tem. E com “educar” não quero dizer “dar um polimento” e integrá-los em um ministério para solteiros para escolher uma companheira. Eu não creio que a maioria dos cristãos solteiros esteja à procura de uma comunidade cristã cheia de intrometidos. Mas uma igreja cheia de homens piedosos, envolvidos, respeitáveis e respeitados, maduros. É um projeto que vale à pena iniciar.

Portanto, o que se pode fazer a respeito de um grupo cada vez maior de mulheres solteiras? Quatro coisas me vêm à mente.

Todos devem orar. Orar para receber o cuidado providencial de Deus, crendo que a piedade com alegria é um dom. Se você é solteira, ore mais por um tipo de cônjuge que você deve ser do que o tipo de cônjuge que você quer ter. Ore também pelos casais e famílias da sua igreja. Se você é casada, ore pelas pessoas solteiras de sua igreja, pelos que nunca se casaram e aqueles que estão divorciados ou viúvos. Todas as pessoas devem orar para começar a servir o Senhor agora, não importa qual seja o estágio da vida em que se encontra ou deseja estar.

Mulheres, não se fixem na busca de um compromisso cristão sólido no casamento, mas certifique-se que sua lista de exigências não exclua a todos os homens, exceto o “Sr. Perfeito”.

Igrejas, não transformem a igreja numa imensa caverna de homens ou de machismo, mas pensem por que sua igreja foi desnecessariamente emasculada. Vocês desafiam e exortam? Vocês cantam hinos a Jesus que os homens possam cantar com sinceridade? A “comunhão” na sua igreja sempre focaliza atividades nas quais os homens tipicamente não se qualificam como ficar sentado e falar sobre seus sentimentos: Sua igreja pretende especificamente discípular os homens — particularmente homens jovens no colegial ou na faculdade? Agarre-os enquanto jovens e os faça crescer na adolescência e não mais tarde.

Homens, vocês não precisam ser ricos e não precisam escalar posições de liderança. Vocês não precisam ter carros e deixar a barba crescer. Mas chegou a hora de tomar uma pequena iniciativa — na igreja, na sua carreira e com as mulheres. Parem de dar voltas e procurem um alvo. Provavelmente é uma boa idéia parecer um pouco mais com o seu avô e um pouco menos com o Capitão Jack Sparrow. Menos ainda com o Peter Pan. Dêem provas de ambição piedosa. Assumam alguns riscos. Parem de namoricar e — se Deus não o estiver chamando para um serviço celibatário — comecem a procurar uma esposa.

 

Traduzido por: Yolanda Mirdsa Krievin

Do original em inglês: Dude, Where’s Your Bride?.

Autor Kevin DeYoung

O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Amor somente em palavras, como assim?

08-5-600x400

Texto-Bíblico: João 3:16/ 1 João 3:16

É muito mais fácil falar do que expressar o amor por sua namorada, noiva ou esposa além das palavras que ela já deve estar acostumada a ouvir em diversos momentos. Infelizmente, esse é um mal da grande maioria dos homens, se não todos.

Após o período de conquista e primeiros meses ou anos de um relacionamento amoroso, onde além das palavras haviam atitudes que expressavam amor pela pessoa amada. Costuma-se cair no hábito de resumir nosso amor, afeto, carinho e consideração por nossas amadas as poucas, pobres e vazias palavras de ‘eu te amo’.

Daí, fica-se a pergunta: acabou o amor?

Claro que não, mas infelizmente muitos homens pensam que basta somente dizer ‘eu te amo’, que está tudo resolvido e as mulheres felizes e satisfeitas. Não mesmo, elas precisam de algo mais…

E esse algo há mais se chama atitudes. Ou seja, que você homem, demonstre e declare de fato e em verdade esse amor que existe na sua cabeça e coração.

As palavras chaves no namoro, noivado e cada fase do casamento em relação ao amor são declarar e demonstrar, dois verbos que exigem ação e que devem andar sempre juntas.

Se você realmente quiser ter um casamento e família saudavéis, firmes e felizes, principalmente sua esposa. Declare o seu amor por ela e demonstre em atitudes diárias.

Declare – Infelizmente, existem homens que nem demonstram amor para com suas esposas, noivas ou namoradas. E nem sequer declararam de alguma forma, são verdadeiras pedras de gelo ambulantes. Não fique somente na intenção ou achando que ela sabe que você a ama. Declare, verbalize, se expresse com suas palavras.

Faça isso por cartas, bilhetes, mensagens pelo whatsapp ou demais redes sociais, gravando um vídeo para ela, agradecendo pelas boas coisas que ela faz e por quem ela é em sua vida, etc. Ou simplesmente ao elogiar, incentivar, encorajar e destacar tudo de bom, belo e importante que existe nela e que você vê ela fazendo.

Na internet, você pode encontrar excelentes dicas de como declarar o seu amor por ela. Além de bons livros a respeito.

Demonstre – Muito mais do que somente declarar ou dizer que a ama, demonstre de fato esse amor por sua amada. Através de atitudes diárias, como por exemplo, conversando diariamente com ela (todo ser humano, especialmente as mulheres amam conversar), abraçando, alisando o seu cabelo, ao dar um presente, leva-lá para passear, ajudar os seus familiares, tratá-la bem, ajudando nas tarefas domésticas, etc.

Porém, mesmo aqui, existem homens que são bons em demonstrar, mas pobres ou miseráveis em declarar-se para a sua namorada, noiva ou esposa. Seja por timidez, medo, criação e infância, ou mesmo achar que dar presentes e fazer ou dar certas coisas suprem todas as necessidades emocionais e pessoais de uma mulher.

Declarar e demonstrar devem ser uma constante em meu casamento e no seu também, una as suas palavras com suas atitudes. Isso é importante para conquistar uma namorada, mas também para regar um noivado e manter um casamento até o fim da vida de maneira a glorificar ao Senhor e satisfazer nossas amadas.

 

Deixarei alguns links úteis para saber um pouco mais sobre como se declarar e demonstrar o seu amor por sua namorada, noiva ou esposa. Mas antes gostaria de deixar três perguntas para a sua reflexão pessoal:

– Você já elogiou a sua amada hoje ou essa semana? elogiou de forma sincera?

– Seu amor é algo somente verbal, ou também é algo prático e diário?

– O que Jesus faria em seu lugar para declarar e demonstrar amor?

 

*Leia e medite nos seguintes textos bíblicos: Provérbios 5 e 6, 18:22, 30:18-19/ Todo o livro de Cantares de Salomão/ A história de Jacó e Raquel em Gênesis 29-30

 

Links com idéias Interessantes

https://br.pinterest.com/explore/presentes-rom%C3%A2nticos/?lp=true

https://familia.com.br/5962/10-presentes-originais-e-romanticos-para-o-dia-dos-namorados

https://familia.com.br/6077/7-dicas-de-presentes-originais-e-romanticos

Como dica de livros:

  • As 5 Linguagens do amor, de Gary Chapman. Edit. Mundo Cristão;
  • O amor como estilo de vida, de Gary Chapman. Editora Mundo Cristão;

 

Então, fica a dica e mãos a obra.

Em Cristo Jesus,

Filipe Paulo Christian

Por que os homens estão com problemas?

Por-Que-Mulher-de-Opinião-Assusta-os-Homens-11

William Bennett: as mulheres fizeram grandes avanços na conquista de várias coisas que antes somente os homens tinham conquistado. Ele diz que os homens ficaram para trás, agora representando menos da metade dos graduados da faculdade.

Os homens estão mais distantes das famílias, muitos não têm empregos e não têm maturidade.

Precisamos ensinar aos meninos o que eles precisam para crescer como homens.

Pela primeira vez na história, as mulheres são mais educadas, mais ambiciosas e sem dúvida mais bem sucedidas do que os homens.

Agora, a sociedade com razão celebrou a ascensão de um sexo. Nós dissemos: “Você vai menina”, e elas foram. Celebramos a ascensão das mulheres, mas o que faremos sobre o que parece ser o declínio muito real do outro sexo?

Os dados não são bons para os homens. Em 1970, homens obtiveram 60% de todos os diplomas universitários. Em 1980, o número caiu para 50%, em 2006 foi de 43%. As mulheres agora superam os homens em graus universitários em quase três ou dois. Os ganhos das mulheres cresceram 44% em reais entre 1970 e 2007, em comparação com o crescimento de 6% para os homens.

Em 1950, 5% dos homens na principal idade de trabalho estavam desempregados. A partir do ano passado, 20% não estavam trabalhando, o maior número já registrado. Os homens ainda mantêm a maior parte das ocupações mais bem remuneradas e mais poderosas, mas as mulheres as estão conquistando e em breve os passarão se essa tendência continuar.

Os sinais de alerta para os homens se estendem muito além das carteiras. Os homens estão mais distantes de suas famílias ou de seus filhos. A taxa de natalidade fora do casamento é mais de 40% na América. Em 1960, apenas 11% das crianças nos EUA viviam separadas de seus pais. Em 2010, essa participação aumentou para 27%. Os homens também são menos religiosos do que nunca. De acordo com a pesquisa de Gallup, 39% dos homens relataram freqüentar a igreja regularmente em 2010, em comparação com 47% das mulheres.

Se você não acredita nos números, basta perguntar a mulheres jovens sobre homens hoje. Você vai encontrá-los falando sobre adolescência prolongada e homens que se recusam a crescer. Ouvi muitas mulheres jovens perguntando: “Onde estão os homens solteiros decentes?” Há um déficit de maturidade entre os homens lá fora, e os homens estão ficando para trás.

Esse declínio nas virtudes fundadoras – trabalho, casamento e religião – chamou a atenção para comentaristas sociais de todos os cantos. Em seu artigo seminal, “The End of Men”, Hanna Rosin descobriu a inversão de papel sem precedentes que está ocorrendo hoje. “O homem tem sido o sexo dominante desde então, bem, o alvorecer da humanidade. Mas, pela primeira vez na história humana, isso está mudando – e com velocidade chocante”, escreve Rosin. As mudanças no trabalho moderno – de costas para cérebros – catapultaram as mulheres para o topo da força de trabalho, deixando os homens em suas poeiras.

A resposta do homem tem sido patética. Hoje, homens de 18 a 34 anos passam mais tempo jogando videogames por dia do que meninos de 12 a 17 anos. Enquanto as mulheres estão se formando na faculdade e encontrar bons empregos, muitos homens não vão trabalhar, não se casam e não criam famílias. As mulheres estão começando a tomar o lugar dos homens de muitas maneiras. Isso levou alguns a perguntar: precisamos mesmo de homens?

Então, o que está errado? Cada vez mais, as mensagens aos meninos sobre o que significa ser um homem são confusas. O machismo da gangue da rua chama com um arrogante. Videogames, televisão e música oferecem lições duvidosas para meninos que foram abandonados por seus pais. Alguns treinadores e sargentos do exército gritam: “Que tipo de homem é você?” Mas não explicam.

Os filmes estão repletos de histórias de homens que se recusam a crescer e se recusam a assumir a responsabilidade nos relacionamentos. Os homens, alguns obcecados com o sexo, tratam as mulheres como brinquedos para serem descartados quando as coisas se complicam. Através de todos esses sinais diferentes e conflitantes, nossos meninos devem decifrar o que significa ser um homem, e para muitos deles é mais difícil descobrir.

Para que os meninos se tornem homens, eles precisam ser orientados através de conselhos, hábitos, instruções, exemplos e correções. É verdade em todas as idades. Alguém já caracterizou as duas questões essenciais que Platão representava: quem ensina as crianças e o que nós ensinamos? Cada geração de homens e mulheres tem a obrigação de ensinar os jovens do sexo masculino (e as mulheres, é claro) que estão por trás deles. William Wordsworth disse: “O que amamos, outros vão adorar, e nós vamos ensinar-lhes como”. Quando faltam nessa obrigação, o problema certamente segue.

Precisamos responder a esta cultura que envia sinais confusos aos jovens, uma cultura agnóstica sobre o que deseja que os homens sejam, com uma noção clara e realizável de masculinidade.

Os fundadores acreditavam, e as evidências ainda mostram que o trabalho, o casamento e a religião são uma base muito importante para o empoderamento e a conquista masculino. Talvez devamos dizer a um bom número de nossos homens de vinte e poucos anos: “Saiam dos videogames cinco horas por dia, obtenha um trabalho desafiador e case-se”. É hora de homens se levantarem.

Por William J. Bennett, avaliador CNN

Link do artigo em Inglês, abaixo

http://edition.cnn.com/2011/10/04/opinion/bennett-men-in-trouble/index.html

Por que os homens adiam cada vez mais o casamento?

18392761.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Texto-Bíblico: Provérbios 13:12

Um problema bastante atual é que cada vez mais homens continuam a viver como se ainda tivessem 12, 15 ou 18 anos. Quando na realidade já passaram dos 25, 28 ou mesmo 30 anos e ainda vivem a mesma vida de quando eram adolescentes ou crianças, ou seja, jogando videogame, morando com os pais, muitos sem um emprego, nem sequer possuem uma graduação superior e quando não vivem trocando de relacionamentos, não tem nenhum.

Em contrapartida, as mulheres tem buscado a própria independência mais cedo, conseguem comprar um apartamento ou carro ainda solteiras, estão melhor preparadas para a vida e para o mercado de trabalho do que os homens (muitas vezes mais), são capazes de permanecer por toda a vida com um único parceiro (diferente dos homens que vivem trocando de namoradas e/ou esposas), dentre tantas outras coisas que as mulheres de hoje superam em muito a nós homens.

E para a nossa tristeza geral, esses fatores (e outros como veremos abaixo) tem contribuído para o adiamento ou demora em assumir um casamento, ou mesmo fugirem literalmente de tal compromisso.

Mas quais são esses fatores em específico que causam o adiamento do casamento?

Vejamos abaixo os principais deles:

– Falta de condições financeiras “ideais” para o casamento;

– Priorizar outras coisas em detrimento do casamento/família;

– Falta de maturidade espiritual e emocional, bem como de assumir responsabilidades;

– Falta ou pouco planejamento prático no sentido de se casar e construir sua vida junto a esposa/noiva;

– Por não saberem realmente como lidar com o casamento ou mesmo terem medo;

– Adiar o casamento somente para depois de concluir a faculdade ou passar em um concurso público;

 

Vejo atualmente duas realidades inconvenientes e tristes infelizmente, uma é a de casais de namorados e noivos vivendo uma vida sexual bastante ativa antes do casamento. E outra é passar um longo tempo de namoro e/ou noivado e depois de tanto tempo simplesmente chegar ao fim do relacionamento de uma maneira muito infeliz devido ao investimento de tempo, dinheiro, expectativas criadas e tantas outras coisas.

Solteiros, Namorados e noivos tenha propósito em seus relacionamentos. O propósito de Glorificar ao Senhor em tudo e o de serem felizes e santos juntos. Orem, façam um curso de noivos ou aconselhamento pré-nupcial, conversem bastante um com o outro, participem de cultos e eventos para casais, planejem cada passo a passo do casamento e vida de vocês e mãos a obra.

O melhor conselho para os homens solteiros continua sendo o do apóstolo Paulo:

“Digo, no entanto, aos solteiros e às viúvas: Melhor seria se permanecestes como eu. Porém, se não vos é possível controlar-se, que se casem. Porque é melhor casar do que viver queimando de paixão.”  1 Coríntios 7:8-9

 

Em Cristo Jesus,

Filipe Paulo Christian